HomeEUA63 Oficiais de segurança pressionam Biden a discutir mísseis nucleares com Putin

63 Oficiais de segurança pressionam Biden a discutir mísseis nucleares com Putin

Em 3 de junho, o Conselho por um Mundo Vivível coordenou a redação e a coleta de assinaturas para uma carta ao presidente Biden de 65 líderes oficiais de segurança nacional instando o presidente a incluir defesas antimísseis nas negociações de estabilidade estratégica nuclear com a Rússia e a China.

É provável que isso não leve a absolutamente nada, mas a aparência é importante.

Reprodução

“Exortamos você a demonstrar a abertura dos EUA para incluir defesas antimísseis em negociações de estabilidade estratégica com a Rússia e a China. O sistema Ground-Based Midcourse Defense (GMD), destinado a defender a pátria dos EUA, já está “em espera” por causa de suas falhas e, portanto, neste momento, não é uma ameaça atual para a Rússia ou a China. Isso representa uma oportunidade de interromper a atual corrida armamentista entre os sistemas de defesa antimísseis dos EUA e os novos sistemas ofensivos que estão sendo construídos pela Rússia e pela China para superar as defesas dos EUA”.

Agency, and U.S. Northern Command.

A carta visa especificamente o sistema Ground-Based Midcourse Defense (GMD), uma das vertentes de interceptação dos EUA, que observaram um plano para atualizar seus interceptores cancelado em meio a problemas técnicos em 2019.

Desde a década de 1950, os Estados Unidos gastaram mais de US$ 400 bilhões em vários programas de defesa antimísseis. Hoje, o presidente Biden herdou o sistema GMD de longo alcance que atualmente está “em espera” por causa de suas repetidas falhas. O Government Accountability Office em 2020 encontrou sérios problemas com o programa de testes da Agência de Defesa de Mísseis: ele apenas completou cerca de um terço de seus testes de voo planejados a cada ano entre o ano fiscal de 2010-2019.

Os suspeitos habituais, Lockheed Martin e Northrop Grumman foram selecionados para competir por um interceptor de próxima geração a ser colocado em campo em 2028, e a solicitação de orçamento para o ano fiscal de 2022 da Agência de Defesa de Mísseis (MDA), na semana passada, incluía US$ 926,1 milhões para o programa.

Desde que os Estados Unidos se retiraram do Tratado de Mísseis Antibalísticos em 2002, um movimento de Biden se opôs como senador.

“O sistema GMD tem procedido de uma maneira apressada, caótica e, em última análise, contraproducente que resultou em um registro de teste fracassado, bilhões de desperdícios de dólares, e acelerou uma corrida armamentista com a Rússia e a China, levando ambos os adversários a expandir seus programas de armas nucleares ofensivas para conter as defesas antimísseis dos EUA ”, diz a carta.

Os signatários do documento incluem o ex-secretário de Defesa Bill Perry; Ben Rhodes, vice-conselheiro de segurança nacional da era Obama; ex-secretário de Estado adjunto para Segurança Internacional e Não Proliferação Thomas Countryman – e vários ex-legisladores que serviram com Biden no Senado, incluindo Tom Harkin e o ex-líder da maioria no Senado, Tom Daschle.

Eles estão pedindo que Biden coloque seu dinheiro onde está sua boca, basicamente.

Eles pressionam Biden a atrasar o novo trabalho no sistema de defesa contra mísseis balísticos Aegis da Marinha Americana, limitando a produção dos interceptores Aegis SM-3 Block IIA e embarcações com capacidade de BMD, “como um primeiro passo para restaurar a estabilidade estratégica e interromper uma corrida armamentista nuclear”.

A carta sinaliza um discurso de 2001 do então presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, Biden, que criticou o absurdo de uma “fidelidade teológica à defesa antimísseis” em Washington.

Apesar da importância dos interceptores GMD, dos testes que foram realizados, o sistema só teve sucesso em 11 de seus 19 testes, incluindo três dos últimos seis, sob condições altamente programadas e sem a inclusão de contra-medidas inimigas mesmo básicas.

Certamente o retrocesso do desenvolvimento de armas estratégicas poderá ser prejudicial ao ordenamento em manter os EUA à frente das principais ameaças, ou realmente estes oficiais estão certos em diminuir o direito da Defesa Americana em se reaparelhar, sem possuir a certeza que os russos farão o mesmo.

South Front, Felipe Moretti, via Redação Área Militar

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

Deixe uma resposta


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

AGORA!