HomeCuriosidadesA Batalha de Abensberg

A Batalha de Abensberg

Neste mesmo dia, em 20 de abril de 1809, iniciava a Batalha de Abensberg

Neste mesmo dia, em 20 de abril de 1809, iniciava a Batalha de Abensberg. Napoleão com um Corpo do Exército francês e seus aliados da Baviera e de Württemberg derrotou um Corpo do Exército austríaco reforçado sob o comando do Arquiduque-Geral Carlos.

A invasão austríaca da Baviera em 10 de abril pegou os franceses de surpresa, com o general Louis-Alexandre Bertier, comandante das tropas imperiais na Alemanha, realizando movimentos equivocados que dispersaram suas forças e efetivamente isolaram a União Soviética. No centro, o arquiduque Carlos dirigia o movimento de mais de 200 mil homens e, vendo a possibilidade da destruição do General Nicolas Davos, que dirigia 65 mil homens contra ele.

Carlos Luis de Áustria, Arquiduque de Teschen

A situação era crítica para os franceses, mas em 17 de abril Napoleão chegou na região e assumiu pessoalmente a gestão das operações. Ele ordenou que Davos se desligasse e cruzasse o Danúbio para se juntar à parte principal do Exército Francês. Então Arquiduque Carlos enviou três Corpos para cercar e destruir as unidades de Davos, mas o último habilmente se esquivou de duas delas e repeliu a terceira na Batalha de Toin-Hausen.

Mapa do beligerante da Abensberg

Com suas forças agora concentradas, Napoleão queria terminar o trabalho iniciado por seu melhor general no dia anterior. Acreditando estar enfrentando apenas três corpos austríacos, Napoleão ordenou que Lan, Vadam e Lefebvre atacassem e rompessem o centro austríaco, manobrando e interrompendo sua retirada para destruir o Exército Austríaco. Napoleão, no entanto, não sabia da existência de outros dois corpos austríacos além do Danúbio.

General Nicolas Davou, um dos melhores generais de Napoleão e o único que poderia desenvolver uma ação independente

Sem saber das posições do inimigo no início, a divisão do general Lan caiu sobre as posições fortificadas austríacas de Louis no rio Grossse Lambert, na Baviera. Os austríacos resistiram, mas as ações combinadas dos franceses dispersaram sua ala direita e levaram a linha ao colapso. Apesar das dificuldades, o plano de Napoleão foi executado, com as linhas austríacas rompendo e sendo derrotadas. Os austríacos conseguiram recuar com uma baixa de 6.700 mortos contra 1.100 franceses e alemães.

Ptisidiastima, via Redação Área Militar


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!