HomeCiência e TecnologiaA viagem aérea de amanhã é supersônica e sustentável - Boom Overture

A viagem aérea de amanhã é supersônica e sustentável – Boom Overture

A inovação é a chave para a construção de um futuro supersônico e sustentável

Uma nova geração de viagens aéreas está chegando. Mais rápida, conveniente e confortável do que nunca, a velocidade supersônica significa menos tempo no ar e mais oportunidades para momentos no solo.

Mas em um momento em que a mudança climática está na mente de todos, os viajantes querem saber: As viagens aéreas supersônicas são sustentáveis?

Com a tecnologia atual, a empresa norte-americana Boom Technology acredita em um futuro em que as viagens supersônicas sejam tão eficientes quanto os voos de classe executiva de hoje.

“Nosso objetivo é competir com as viagens atuais da classe executiva em uma base de consumo de combustível por assento-milha”, explica o fundador e CEO da Boom, Blake Scholl. “Somos competitivos pelos padrões de hoje e também planejamos continuar aumentando a eficiência.”

Para a empresa que está revolucionando a indústria da aviação, “no mesmo nível” não é suficiente. Isso ocorre porque a sustentabilidade fala ao âmago (cerne da empresa) da visão da Boom.

“Nossa visão é tornar a Terra mais acessível”, diz Scholl. “É fundamental cuidarmos bem dela também.”

Sustentabilidade construída com base na inovação

A Boom testou com sucesso os motores do XB-1 usando combustíveis alternativos e fez parceria com a Prometheus Fuels para fornecer combustível com baixo teor de carbono durante o programa XB-1. Boom

A estratégia de sustentabilidade da Boom é baseada na inovação tecnológica. “Os aviões são máquinas de alto desempenho”, explica Scholl. “Eles são muito limitados em peso e volume.

É por isso que o combustível de aviação, como um combustível altamente denso em energia, funciona tão bem, e também é por isso que a eletrificação não é uma solução viável hoje para voos de longa distância.

”Embora o progresso atual na propulsão elétrica possa trazer voos com zero carbono para viagens aéreas regionais na década de 2020, projetar baterias poderosas o suficiente para voos de longo curso ainda representa o maior desafio.

A Boom Technology acredita que o combustível alternativo para aviação oferece uma solução mais acessível e de curto prazo para a aviação sustentável.

“Grande parte da nossa estratégia envolve pesquisas em combustíveis de aviação sustentáveis, alternativas que funcionam da mesma forma que os atuais combustíveis fósseis, mas utilizam carbono de outras fontes”, diz Scholl.

A parceria da Boom com a Prometheus, uma empresa com sede na Califórnia com tecnologia para produzir combustível de baixo carbono, oferece um exemplo convincente de tal inovação.

A tecnologia da Prometheus remove economicamente o CO₂ do ar e usa eletricidade limpa para transformá-lo em combustível de aviação. “Estamos trabalhando com a Prometheus para criar uma solução de combustível para aviação que possa atender às necessidades futuras da aviação em escala.”

Aproveitando a impressão 3D para reduzir os custos de pesquisa e desenvolvimento, a Boom é capaz de evitar a iteração de design com grande desperdício de material e transporte. Boom

Aproveitando a impressão 3D para reduzir os custos de pesquisa e desenvolvimento, o Boom é capaz de evitar a iteração de design com grande desperdício de material e transporte.

A Boom já conduziu com sucesso testes de motor com combustível alternativo para seu demonstrador supersônico, XB-1, e planeja incorporar combustíveis sustentáveis em seu próximo programa de testes de voo. “O sucesso de longo prazo virá da promoção de uma cultura de inovação e da contínua busca por novas soluções”, afirma Scholl.

Concorde? Protótipo XB-1? Estenda!

O Concorde é um avião de passageiros supersônico com motor turbojato britânico-francês que foi operado de 1976 a 2003.

O Concorde foi projetado na década de 1960 usando réguas de cálculo e túneis de vento, enquanto o avião planejado da Boom Supersonic, a Overture, está sendo modelado em software e construído com materiais ultraleves, usando motores a jato supereficientes.

A aeronave Concorde do passado tinha uma velocidade máxima duas vezes maior que a do som, a Mach 2,04 (2.180 km/h em altitude de cruzeiro), com capacidade para 92 a 128 passageiros. Era um dos dois únicos transportes supersônicos operados comercialmente; o outro é o Tupolev Tu-144, de construção soviética, que operou no final dos anos 1970.

A tecnologia e eficiência da nova aeronave supersônica desenvolvida pela Boom Supersonic se deve ao reduzido consumo de combustível por passageiro-milha bem abaixo da taxa de consumo do Concorde, baixo o suficiente para tornar possíveis tarifas não mais caras do que a classe executiva de hoje.

Assim, o protótipo atual da Boom é o XB-1, o “Baby Boom”, que dará origem ao futuro avião supersônico Boom Overture. Assim, um demonstrador supersônico trimotor a jato em escala de um terço projetado pela Boom Technology como parte do desenvolvimento do avião de transporte supersônico Boom Overture.

As condições atuais do “Baby Boom” trouxe condições ao desenvolvimento do Boom Overture que está planejado para manter Mach 2.2, com mais de 1.900 km de alcance. Alimentado por três motores General Electric J85, espera-se que seja testado em voo em 2021.

Céus Azuis e Iniciativas Verdes.

Protótipo XB-1. Boom

A inovação está no centro da missão do Boom. Fora do hangar, Boom é um apoiador ativo das iniciativas da indústria que buscam dar asas à sustentabilidade.

Como membro da RSB e da Iniciativa de Combustíveis Alternativos de Aviação Comercial (CAAFI), a Boom pretende servir como uma ponte entre os produtores e fornecedores de SAF para promover a adoção significativa de combustíveis alternativos.

Como o uso de combustível alternativo sustentável nem sempre resulta em emissões líquidas de carbono zero, o Boom valoriza as iniciativas de compensação de carbono.

O Esquema de Compensação e Redução de Carbono para Aviação Internacional, ou CORSIA, introduzido pela ONU em 2018, visa limitar as emissões líquidas de CO2 de viagens aéreas internacionais aos níveis de 2020.

Uma companhia aérea que aumenta as emissões além dos níveis de 2020 terá que comprar compensações de carbono, talvez investindo em novas estações de energia renovável, plantando florestas ou mesmo pagando pelo “sequestro” de carbono.

Durante o projeto do avião comercial Boom Overture, a empresa está incluindo os custos esperados do CORSIA na modelagem econômica para garantir que a aeronave faça sentido em um mundo de crescimento neutro em carbono.

Voos de longa distância sustentáveis exigem estratégia de longo prazo

Boom Overture. Boom

Boom reconhece o quão críticas as iniciativas de sustentabilidade serão para a era supersônica e está abordando o assunto como qualquer outra meta de engenharia. “Na Boom, o que importa é a inovação”, afirma Scholl. “Vai ser necessário pensamento criativo para gerar as melhores soluções.”

A Boom é a primeira fabricante de aeronaves comerciais a incorporar a sustentabilidade ao design de veículos desde o primeiro dia. A abordagem da empresa abrange testes de aeronaves, projeto de instalações, planos para reciclagem de aeronaves no fim da vida útil e muito mais.

Conforme o programa de abertura amadurece, a empresa compartilhará mais detalhes sobre o desdobramento dessa iniciativa de sustentabilidade.

Boom Supersonic, via Redação Área Militar


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!