HomeOriente-médioAeroporto de "Kaosbul"; militares canadenses desaparecidos, mortes em confrontos relatadas e vôos...

Aeroporto de “Kaosbul”; militares canadenses desaparecidos, mortes em confrontos relatadas e vôos civis suspensos indefinidamente

Vôos civis saindo do aeroporto de Kabul foram suspensos indefinidamente, pois o espaço aéreo acima do Afeganistão está fechado, ainda não se sabe se por ordem do Talebã (que já ocupa em vigilância a torre de controle do aeroporto de Kabul) ou por coordenação conjunta entre EUA e aliados que aonda evacuam seus civis. .

United Airlines, British Airways e Virgin Atlantic disseram que não estão usando o espaço aéreo do país, e muitos já chamam o aeroporto pelo callsign “KAOSBUL”.

Uma porta-voz da United disse que a mudança afeta vários voos da companhia aérea dos EUA para a Índia.

O site de rastreamento de voos FlightRadar24 mostrou poucos voos comerciais sobre o Afeganistão às 3h GMT de 16 de agosto, mas muitos aviões sobrevoando os vizinhos Paquistão e Irã.

Em julho, a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos impôs restrições de vôo sobre o Afeganistão para as companhias aéreas e outras operadoras dos Estados Unidos.

O aeroporto de Kabul está mergulhado no caos enquanto as pessoas tentam fugir e percebem que foram abandonadas em grande parte.

Enquanto isso, as plataformas de mídia social estão inundadas com notícias detalhando as lutas enfrentadas por entidades estrangeiras que tentam evacuar seus membros do Afeganistão.

A chegada imprevista do Taleban a Cabul no domingo acelerou os esforços para transferir diplomatas e funcionários da embaixada para o aeroporto internacional de Kabul em um prazo muito curto, o que exortou os governos ocidentais a “comprar mais tempo” para concluir o processo.

Da noite para o dia, os Estados Unidos, França, Alemanha, Arábia Saudita e outras equipes de missões diplomáticas conseguiram chegar ao aeroporto e deixar o Afeganistão para sempre, sem ataques do Talibã.

Para garantir a evacuação segura de seus cidadãos, as forças dos EUA atiraram no ar no aeroporto de Kabul na segunda-feira para evitar que centenas de civis corressem para a pista.

Já existem relatos de mortes por tiros de militares contra civis que tentaram agredir e sequestrar tripulantes de aeronaves, mortos por esmagamentos por rodas de aeronaves e alguns que caíram de uma aeronave C-17 por estarem agarrados ao trem de pouso.

Centenas de afegãos congestionaram o aeroporto tentando sair do país depois que insurgentes do Taleban entraram na capital no domingo. As tropas dos EUA estão no comando do aeroporto, ajudando na evacuação de funcionários da embaixada e outros civis.

Também existem relatos de que um grupo de militares canadenses foi cercado por uma multidão durante a madrugada e não foi mais contactado via rádio, telefone ou pessoalmente pelos seus superiores. Também até o momento não existem maiores informações por parte do MoD Canadense sobre o acontecido e o paradeiro dos militares que ajudavam tropas americanas e turcas no controle de entrada do aeroporto.

O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, aprovou mais 1.000 soldados americanos no Afeganistão, para um total de 6.000 soldados americanos que estarão no país em breve.

Sua principal missão é a segurança do aeroporto internacional de Cabul, que é a porta de entrada das tropas e a porta de saída do pessoal da embaixada dos EUA e dos afegãos que estão deixando o país.

“Não estamos presumindo que cada centímetro do aeroporto seja seguro”, disse o oficial, observando relatos de civis afegãos correndo para o aeroporto.

No momento, há aproximadamente 3.000 soldados americanos no Afeganistão. As tropas restantes estão a caminho ou estarão no futuro próximo.

Ocorreram incidentes de segurança no aeroporto ou perto dele, disse o oficial, mas as forças dos EUA não foram alvejadas, nem atiraram contra ninguém. As forças turcas permanecem no campo e também participam dos esforços para proteger o campo. O oficial não soube dizer se as forças turcas estiveram engajadas em trocas de tiros.

Os militares dos EUA terão capacidade máxima para transportar cerca de 5.000 pessoas por dia para fora do aeroporto internacional de Cabul, embora ainda não sejam capazes de mover esse número, disse o oficial. Eles atingirão essa capacidade “dentro de alguns dias”.

Todo o Afeganistão, incluindo sua capital, está agora sob o controle do Taleban. A missão dos EUA e da OTAN de 20 anos terminou em uma catástrofe. Hoje, Washington e seus aliados foram forçados a evacuar precipitadamente seu pessoal, na verdade, para fugir.

A grande maioria dos afegãos aliados é deixada em apuros face a face com uma vingança inevitável. Os drásticos desdobramentos de 15 de agosto provaram que o atual governo americano não foi capaz de garantir as condições necessárias para a planejada evacuação de seu pessoal, cidadãos e aliados. Os americanos também provaram que não foram capazes de negociar ou garantir a implementação dos acordos do Taleban.

O Taleban não deveria entrar na cidade hoje, mas entrou. O Taleban não deveria capturar o Palácio Presidencial, mas eles capturaram. O Taleban não deveria bombardear o aeroporto de Cabul, mas o fez. O Taleban não deveria iniciar uma repressão em Cabul, mas começou.

  • Com informações The Ragex,  Pajhwok Afghan News@pajhwok, Ragıp Soylu@ragipsoylu, Abraxas Spa@AbraxasSpa, Aurora Intel, STFH Intel, e redes sociais diversas, via redação Orbis Defense Europe.


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!