HomeÚLTIMASAgentes clandestinos dos EUA podem conduzir operações de "False Flag" para culpar...

Agentes clandestinos dos EUA podem conduzir operações de “False Flag” para culpar a Rússia?

“As ameaças de Washington de sancionar Putin não são uma demonstração de poder, mas de desespero.”

Ameaças de que Washington poderia impor sanções diretamente ao presidente russo Vladimir Putin não é uma demonstração da força e capacidade americana, mas sim uma demonstração de desespero. Se tais sanções forem aprovadas e implementadas, isso levará a uma séria deterioração das relações entre os EUA e a Rússia e, possivelmente, até mesmo um rompimento de laços.

Senadores democratas seniores, liderados pelo presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, Robert Menendez, revelaram um novo pacote de sanções na semana passada para atingir Putin e outros altos funcionários russos – se Washington determinar que a Rússia iniciou uma guerra com a Ucrânia. Pode-se especular que se trata realmente de tentar impedir o projeto Nord Stream 2 Pipeline que fornecerá gás russo para a Alemanha e outras partes da Europa.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, alertou que as sanções contra Putin são “uma medida sem precedentes, equivalente a romper laços”. Embora tal ação dos EUA seja drástica, as notícias de possíveis sanções, especialmente no momento em que as negociações de segurança estavam em andamento na semana passada entre a Rússia e os EUA/OSCE, devem ser vistas como uma tentativa desesperada de pressionar Moscou à submissão.

Talvez as ameaças tenham sido feitas para fortalecer a posição negociadora americana durante as discussões da semana passada. Não há nada particularmente novo nas ameaças de sanções contra a Rússia, exceto que agora a ênfase foi colocada em sanções pessoais a Putin. Isso está sendo encabeçado pelo lobby anti-russo ligado à parte do Partido Democrata que está descontente com o que eles consideram a política branda do presidente Joe Biden em relação à Rússia.

Outro aspecto problemático é que tipo de sanções os americanos podem impor ao presidente russo, já que ele não possui ativos ou contas bancárias no Ocidente. Como ninguém sabe publicamente quais sanções os senadores dos EUA planejaram, é provável que as ameaças de sanção contra Putin tenham sido vazias, dadas na esperança de fortalecer o poder de negociação dos EUA com Moscou. Isso não nega, porém, que os EUA poderiam sancionar outros indivíduos ou talvez até mesmo o gasoduto Nord Stream 2.

Além disso, novas sanções estão sendo preparadas caso a situação se agrave na Ucrânia. Isso apesar do fato de Moscou insistir que não tem intenção de invadir a Ucrânia. Isso não impediu que os EUA disseminassem desinformação, sendo que a mais recente é que a Rússia está “preparando as bases para ter a opção de fabricar um pretexto para a invasão” culpando a Ucrânia.

“Temos informações que indicam que a Rússia já preparou um grupo de agentes para conduzir uma operação de bandeira falsa no leste da Ucrânia”, disse Jen Psaki, secretário de imprensa da Casa Branca na sexta-feira.

Apesar da Rússia tentar desesperadamente evitar a guerra, os EUA estão pintando um quadro de que o país está buscando nefastamente maneiras de justificar uma invasão da Ucrânia. Dado o longo histórico de operações de bandeira falsa dos EUA, talvez as provocações ucranianas estejam sendo preparadas para serem apresentadas como uma operação de bandeira falsa russa para justificar sanções e talvez coagir a Rússia a uma guerra destrutiva e custosa.

As sanções propostas pelos democratas também podem incluir o primeiro-ministro, o ministro das Relações Exteriores, o ministro da Defesa, o chefe do Estado Maior das Forças Armadas e outras figuras militares. As sanções também podem visar os principais bancos e o sistema SWIFT. Washington acredita que tais ameaças enviam um sinal claro sobre sua prontidão para devastar a economia russa.

No entanto, se há realmente um desejo de reduzir as tensões, então Washington deve falar a linguagem da diplomacia e não das ameaças que podem ser consideradas um método descarado e cínico para negociar o que é necessário e importante para o lado dos EUA em as negociações. No entanto, foi exatamente por isso que vazamentos controlados durante as negociações da semana passada enviaram a mensagem de que as sanções foram preparadas se a Rússia não capitular às exigências americanas.

Sem dúvida, as sanções afetam a economia russa, mas certamente não a destruíram. Tomemos como exemplo o fato de que a Rússia costumava ser um importador de produtos agrícolas, mas hoje é um grande exportador apesar das sanções. O mesmo poderia acontecer em outros setores da economia onde poderiam ser impostas sanções.

Desta forma, ameaças de sanções reforçadas, especialmente contra Putin, nada mais são do que uma tentativa desesperada de forçar a Rússia à capitulação e abandonar a situação humanitária na Ucrânia e o oleoduto Nord Stream 2. Como Moscou não vai capitular ou ser arrastada para a guerra com a Ucrânia, a maior ameaça não é se Washington vai impor sanções reforçadas contra a Rússia, mas se está preparando uma operação de bandeira falsa na Ucrânia para culpar o Kremlin.

  • Escrito por Paul Antonopoulos , analista geopolítico independente para o STFH Analysis & Intelligence, via redação Orbis Defense Europe/Genebra.

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

Deixe uma resposta


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

AGORA!