HomeGuerra Fria 2.0Caças das Forças Aeroespaciais Russas escoltam bombardeiros da USAF sobre o Mar...

Caças das Forças Aeroespaciais Russas escoltam bombardeiros da USAF sobre o Mar Negro

Dois caças Su-30 escoltaram dois bombardeiros estratégicos B-1B e dois aviões de reabastecimento aéreo KC-135 da USAF pelo Mar Negro em região não especificada, em direção à fronteira com a Rússia nesse dia 19 de outubro . Não existem ainda informações de onde que base os aviões dos EUA vieram (provavelmente alguma base no Reino Unido onde um grupamento de B1-B está baseado), e que rota usaram para chegar à região.

“Para identificar alvos aéreos e evitar a violação da fronteira estadual, dois caças Su-30 das forças de serviço da aviação naval e defesa aérea da Frota do Mar Negro foram despachados”, disse o centro em um comunicado.

Os caças se certificaram de que os aviões de guerra americanos não invadissem o espaço aéreo da Rússia e voltaram à base assim que deram meia volta.

Ressalta-se que as tripulações do Su-30 realizaram o vôo em estrita conformidade com as regras internacionais de uso do espaço aéreo. Provavelmente o MoD da Rússia vai divulgar imagens da interceptação e escolta nas próximas horas.

Recentemente, a atividade de aviões de reconhecimento estrangeiros e drones perto das fronteiras do país aumentou significativamente. O Ministério da Defesa pediu repetidamente aos parceiros ocidentais que abandonassem essas ações, mas não houve reação. Anteriormente, um caça a jato russo escoltou um bombardeiro americano sobre o Mar do Japão, de acordo com o Centro de Controle de Defesa Nacional.

Isso aconteceu em 17 de outubro, depois que o controle do espaço aéreo encontrou um alvo se aproximando da fronteira russa em águas neutras.

“Para identificar o alvo aéreo e evitar que ele violasse a fronteira do estado da Rússia, um caça MiG-31 das forças de defesa aérea do Distrito Militar Oriental foi enviado ”, disse um comunicado.

A tripulação do caça identificou o alvo como um bombardeiro estratégico B-1B da Força Aérea dos EUA. O avião não violou a fronteira russa.

O Centro de Controle de Defesa Nacional enfatiza que o vôo do MiG-31 também ocorreu em estrita conformidade com as regras internacionais.

Na mesma época, um incidente com o contratorpedeiro americano USS Chafee ocorreu no Mar do Japão esta semana.

Ele se aproximou das águas territoriais russas e fez uma tentativa de cruzar a fronteira, mas o grande navio anti-submarino da Frota do Pacífico “Admiral Tributs” impediu a violação.

A região onde os fatos aconteceram de acordo com informações do MoD da Rússia.

O Pentágono negou os relatos de que tal incidente ocorreu

Enquanto o USS Chafee (DDG 90) conduzia operações de rotina em águas internacionais no Mar do Japão em 15 de outubro de 2021, um contratorpedeiro da classe Udaloy russo chegou a aproximadamente 65 jardas do USS Chafee (DDG 90) enquanto o navio se preparava para operações de voo. A interação foi segura e profissional ”, disse a Frota do Pacífico dos EUA no comunicado. “Embora a Rússia tenha emitido um Aviso ao Aviador e Navegantes (NOTAM / NOTMAR) nesta área para o final do dia, o NOTAM / NOTMAR não estava em vigor no momento da interação. Em todos os momentos, o USS Chafee conduziu as operações de acordo com a lei e os costumes internacionais. Os Estados Unidos continuarão a voar, navegar e operar onde a lei internacional permitir.

De acordo com uma declaração de defesa russa, a tripulação do Admiral Tributs transmitiu um aviso por rádio ao USS Chafee, informando que estava em uma área que foi fechada devido aos exercícios, informou a TASS. Chafee não mudou o curso e, em vez disso, levantou suas bandeiras para sinalizar que lançaria um helicóptero. Em resposta, o almirante Tributs partiu em direção a Chafee para expulsá-lo de suas águas, de acordo com o relatório do TASS.

O USS Chafee finalmente mudou de curso quando estava a menos de 60 metros do Admiral Tributs, aproximadamente 50 minutos depois de se aproximar das águas russas, informou a agência estatal russa.

As ações de Chafee foram uma “violação grosseira” das regras internacionais em vigor para evitar colisões entre navios, bem como um acordo de 1972 entre os EUA e a Rússia para evitar incidentes aéreos e navais, disse o ministério da defesa russo, de acordo com a Associated Press.

Parece que “quase invasões” desse tipo estão aumentando nas últimas semanas, especialmente em torno do fechamento da missão de representação de Moscou na OTAN.

Abaixo, outro vídeo divulgado pelo MoD da Rússia em suas redes sociais:

Abaixo, vídeo do MoD da Rússia, exibindo o flagrante de uma interceptação e escolta de um Boeing P3 Poseidon sobre o Mar Negro que aconteceu em julho desse ano:

  • Com informações Russian Federation MoD, TASS, STFH Analysis & Intelligence e comunidade Flight Radar Observers via redação Orbis Defense Europe/Genebra.


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

1 COMMENT

Deixe uma resposta

AGORA!