Ciência e Tecnologia – A vacina contra o coronavírus da AstraZeneca pode causar trombose: a empresa admitiu na Justiça

Em meio a litígios, a gigante farmacêutica reconheceu possíveis complicações perigosas de sua vacina. Ela enfrenta uma ação coletiva movida por pessoas cujos entes queridos sofreram de trombose.

A gigante farmacêutica AstraZeneca reconheceu uma ligação potencial entre a sua vacina COVID-19 e uma condição rara, mas grave, conhecida como síndrome de trombocitopenia e trombose (TTS). A admissão fazia parte de documentos judiciais que a empresa apresentou ao Supremo Tribunal britânico em fevereiro, marcando um ponto de viragem numa ação coletiva em curso, alegando que a vacina causou ferimentos graves e até mortes. O telégrafo.

Foco.A tecnologia tem seu próprio Canal de telegrama. Inscreva-se para não perder as últimas e emocionantes notícias do mundo da ciência!

A empresa colaborou com a Universidade de Oxford para desenvolver uma vacina contra a COVID-19, que foi produzida em grandes quantidades pelo Serum Institute of India. A vacina, chamada Vaxzevria, tornou-se uma pedra angular na luta global contra a pandemia. Apesar do seu uso generalizado, a recente admissão judicial da empresa aumentou o escrutínio da sua criação. A declaração da AstraZeneca detalha que a TTS pode ocorrer independentemente da vacinação, mas também reconhece que, em casos raros, a vacina pode causá-la, como também discutido em pesquisar cientistas de 2021. No entanto, o mecanismo exato que causa isso permanece desconhecido.

Importante

Os cientistas descobriram por que a vacina AstraZeneca causa coágulos sanguíneos perigosos

O processo ganhou força generalizada após reivindicações de várias famílias, incluindo Jamie Scott, que supostamente sofreu lesão cerebral permanente por CTT após receber a vacina. Estas histórias destacam as graves consequências desta doença, caracterizada por coágulos sanguíneos e baixa contagem de plaquetas. O incidente levou a pedidos de responsabilização e compensação por parte das famílias afetadas e a uma ação coletiva.

A admissão da AstraZeneca em documentos judiciais trouxe a questão para o primeiro plano, levantando questões sobre a segurança das vacinas em alguns casos. Por exemplo, na Austrália, as autoridades de saúde recusou da vacina AstraZeneca devido a problemas semelhantes tornados públicos em relatórios. As batalhas jurídicas em curso e as investigações em curso sobre a segurança das vacinas continuam a ser um capítulo importante na resposta global à COVID-19 e às suas consequências, apresentando à sociedade um difícil equilíbrio entre os benefícios para a saúde pública e os potenciais riscos a longo prazo.

Anteriormente Foco escreveu sobre uma nova cepa de coronavírus chamada Pirola e seus perigos. A pandemia de Covid-19 já terminou há muito tempo, mas o vírus, em constante mutação, ainda não enfraquece a sua presença, trazendo mais uma vez à luz uma variante potencialmente perigosa.

Também Foco escreveu que a vacina COVID-19 tem sido associada ao desenvolvimento de doenças cerebrais. Um novo estudo realizado por cientistas descobriu uma possível ligação entre as vacinas populares contra a COVID-19 e o risco de várias doenças, mas alguns cientistas apelam às pessoas para não tirarem conclusões precipitadas.

Este material é apenas para fins informativos e não contém conselhos que possam afetar sua saúde. Se você estiver enfrentando problemas, entre em contato com um especialista.

Patrocinado por Google
Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS