Ciência e Tecnologia – Ainda não morto: eles estão tentando trazer de volta à vida o primeiro módulo de pouso japonês na Lua (foto)

O aparelho, apelidado de “Lunar Sniper”, ainda poderá iniciar seu trabalho na superfície da Lua após o acidente.

O Japão conseguiu pousar seu primeiro módulo SLIM na Lua em 19 de janeiro. Embora tenha havido um pouso suave, as coisas não saíram como planejado. Os painéis solares da espaçonave não conseguiram produzir eletricidade, deixando o futuro da missão incerto. Mas a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA) disse que é muito cedo para dizer que o SLIM já “morreu” na Lua e os engenheiros da missão estão trabalhando para trazê-lo de volta à “vida”, escreve. Espaço.

Em foco. Surgiram tecnologias Canal de telegrama. Inscreva-se para não perder as últimas e emocionantes notícias do mundo da ciência!

O módulo de pouso SLIM foi apelidado de “Lunar Sniper” porque foi o primeiro a demonstrar a tecnologia para pouso de precisão na superfície lunar. Ele conseguiu pousar a 100 metros do ponto designado na cratera Scioli, o que é uma grande conquista. Anteriormente, a espaçonave pousou na Lua em um raio de vários quilômetros. Pelo menos os cientistas japoneses acreditam que isso aconteceu, pois continuam a recolher dados e prometem uma atualização no final da semana.


Tela cheia

O módulo de pouso SLIM foi apelidado de “Moon Sniper” porque foi o primeiro a demonstrar a tecnologia para pouso de precisão na superfície lunar.

Foto de : JAXA

SLIM foi à Lua em setembro passado, entrou na órbita lunar no final de dezembro e pousou na Lua em 19 de janeiro. De acordo com a JAXA, dois veículos lunares que estavam a bordo do SLIM chegaram à superfície do satélite da Terra. Embora esta informação também ainda exija confirmação.

Mas depois de pousar na Lua, o módulo teve problemas com os painéis solares e funcionou por algum tempo com carga da bateria. Conforme relataram os engenheiros da missão em 22 de janeiro, a carga da bateria caiu para 12% e o SLIM foi desligado. Soube-se também que ainda é possível restaurar o funcionamento do módulo de pouso, pois os painéis solares podem começar a gerar energia elétrica. Se isso acontecer, nem tudo estará perdido para a missão, disse a JAXA.

Segundo cientistas japoneses, após pousar na Lua, o SLIM conseguiu transmitir dados técnicos para a Terra, que mostraram que todos os seus instrumentos funcionavam bem. A JAXA prometeu reportar os resultados do seu trabalho que visa retomar a operação do módulo de pouso em poucos dias.

Cientistas japoneses acreditam que apesar dos problemas surgidos, a missão pode ser considerada um sucesso, pois ocorreu o pouso na Lua. Isto é muito problemático, porque, por exemplo, um módulo de pouso dos EUA, chamado Peregrin, não conseguiu fazer isso e voltou para a Terra, onde queimou na atmosfera, como já escrevi Foco.

Depois que a sonda SLIM pousou na Lua, o Japão juntou-se a quatro países do mundo que já haviam conseguido fazê-lo. Os Estados Unidos e a ex-URSS pousaram naves espaciais no satélite da Terra durante a Guerra Fria e foram os primeiros a fazê-lo. Depois deles, a China alcançou o mesmo sucesso em 2013, e em 2023 a Índia fez o mesmo com a sua missão Chandrayaan-3. Saiba mais sobre esta missão e suas conquistas Foco já escreveu.

Também Foco escreveu que os astrônomos descobriram um buraco negro único que nunca havia sido encontrado no espaço. É o elo perdido entre dois tipos conhecidos de buracos negros.

Patrocinado por Google

Deixe uma resposta

Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS

Descubra mais sobre Área Militar

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading