Ciência e Tecnologia – Eles trabalham em pares. Nas florestas tropicais da China vivem aranhas que podem se transformar em flor (foto)

As aranhas-caranguejo usam uma estratégia curiosa para se camuflar e se esconder dos predadores.

Existem milhões de criaturas vivas diferentes vivendo na Terra, e algumas delas têm habilidades incríveis em mimetismo de camuflagem. De pássaros a sapos e lagartas, criaturas de todo o mundo encontraram as maneiras mais incríveis de se esconder de olhares indiscretos. No entanto, as aranhas que vivem nas florestas tropicais da China parecem ter ido muito mais longe, escreve Alerta científico.

As aranhas-caranguejo (Thomisus guangxicus) formam pares para melhorar suas habilidades de mimetismo de camuflagem. Os ecologistas Shi-Mao Wu e Jiang-Yun Gao, da Universidade de Yunnan, descobriram que as fêmeas e os machos da espécie trabalham juntos para se camuflarem como flores. Os autores do estudo não descartam que esta seja a primeira camuflagem de pares documentada na natureza que os cientistas conhecem.

Em foco. Surgiram tecnologias Canal de telegrama. Inscreva-se para não perder as últimas e emocionantes notícias do mundo da ciência!

As aranhas caranguejo são aracnídeos coloridos que não representam perigo para os humanos. Via de regra, vivem em um ambiente que combina com sua cor, disfarçando-se de traços de folhas ou pétalas de flores. Esse comportamento lhes dá proteção contra predadores e também é uma vantagem na caça: os representantes dessa espécie não tecem teias, mas se disfarçam de flores e simplesmente esperam até que a presa chegue até eles.

Os representantes desta espécie recebem esse nome porque suas patas dianteiras são mais longas que as demais, o que lhes dá uma semelhança com seus homônimos do mar, os caranguejos. No entanto, ao contrário dos caranguejos, os representantes desta espécie apresentam dimorfismo sexual mais pronunciado. As aranhas-caranguejo machos são muito menores que as fêmeas e têm uma cor muito mais escura.

Durante a pesquisa de campo, os ecologistas Wu e Gao encontraram um par de aranhas que trabalharam juntas para se tornarem como flores de seiva, com pétalas mais claras e pistilos e estames mais escuros. Os autores do estudo documentaram o comportamento das aranhas: observaram o macho deitado nas costas da fêmea e parecendo imitar os pistilos e estames, enquanto a fêmea imitava a pétala de uma flor.

Tela cheia

Existem duas aranhas-caranguejo nesta foto.

Foto: Frontiers EcoPics

É curioso que tal trabalho em equipe só seja possível com a cooperação de aranhas da mesma espécie, mas de sexos diferentes. Os ecologistas Wu e Gao dizem que esta pode ser a primeira vez que documentam o mimetismo aos pares. Ao mesmo tempo, existe a possibilidade de que as aranhas empilhadas possam ser apenas uma coincidência, ou que o que os cientistas observaram nada mais seja do que um comportamento de acasalamento.

Os autores do estudo planejam continuar as observações de campo de aranhas e outras espécies de aranhas-caranguejo com dimorfismo sexual semelhante para entender o que exatamente significa seu comportamento e se ele pode estar relacionado à camuflagem. As pistas também podem estar nos relógios moleculares de ambas as espécies.

Anteriormente Foco escreveu que os morcegos aprenderam a zumbir para não serem comidos pelas corujas.

Patrocinado por Google

Deixe uma resposta

Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS

Descubra mais sobre Área Militar

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading