Ciência e Tecnologia – Protege a memória: foi demonstrado que a dieta cetônica combate a doença de Alzheimer

Os cientistas descobriram que seguir uma dieta cetogênica ajuda a desencadear processos importantes no corpo que podem neutralizar os sintomas da doença de Alzheimer.

Um estudo recente da Universidade da Califórnia, Davis, revelou os benefícios da dieta cetogênica – uma dieta pobre em carboidratos, rica em gordura e moderada em proteínas – no fortalecimento da memória. Esta dieta, muitas vezes controversa devido aos seus efeitos na saúde, pode retardar o aparecimento da doença de Alzheimer, especialmente nas suas fases iniciais, que se caracterizam por um ligeiro comprometimento cognitivo. O estudo destaca que a dieta melhora a conectividade e a comunicação do cérebro devido ao aumento dos níveis de beta-hidroxibutirato (BHB), uma molécula produzida durante a ingestão de alimentos, escreve Novo Atlas.

Foco.A tecnologia tem seu próprio Canal de telegrama. Inscreva-se para não perder as últimas e emocionantes notícias do mundo da ciência!

A dieta cetogênica tem uma história rica, originalmente desenvolvida em 1921 como tratamento para a epilepsia. Sua capacidade de mudar a fonte de energia do corpo de glicose para cetonas derivadas de gordura, como a BHB, proporciona benefícios terapêuticos em várias doenças neurológicas. Esta transição não só fornece uma fonte alternativa de energia para o corpo, mas também parece melhorar a função cognitiva e a plasticidade sináptica – a capacidade do cérebro de se adaptar e mudar, o que é fundamental para a memória e a aprendizagem.

EM pesquisar Universidade da Califórnia, em Davis, camundongos com doença de Alzheimer foram mantidos em dieta cetogênica por sete meses, o que resultou em melhorias significativas na memória cognitiva e na plasticidade sináptica. Os resultados foram especialmente surpreendentes, dados os níveis aumentados de BHB circulante, especialmente em camundongos fêmeas, que correm maior risco de desenvolver a doença de Alzheimer. Embora a dieta não tenha reduzido as placas beta-amilóides, uma patologia chave da doença de Alzheimer, melhorou eficazmente a função cognitiva ao fortalecer as conexões sinápticas.

No entanto, os efeitos observados em ratos precisam de confirmação adicional em estudos humanos antes que o uso generalizado de suplementos de BHB seja considerado. Os potenciais efeitos colaterais e o alto teor de sal dos suplementos de cetona também requerem uma consideração cuidadosa. No entanto, este estudo abre novos caminhos na compreensão dos cientistas sobre os efeitos da dieta na saúde do cérebro e proporciona um vislumbre de esperança na luta contra a doença de Alzheimer.

Anteriormente Foco escreveu sobre um novo medicamento para a doença de Alzheimer, que mostrou resultados sem precedentes. A droga mostrou uma capacidade impressionante de retardar a progressão da doença, mas não sem alguns efeitos colaterais muito graves.

Também Foco escreveu sobre cientistas que descobriram novos culpados no desenvolvimento da doença de Alzheimer. No fundo do nosso cérebro vivem células destinadas a protegê-lo, mas parecem levar uma vida dupla e podem causar doenças.

Importante! Este artigo é baseado e não contradiz as mais recentes pesquisas científicas e médicas. O texto tem caráter meramente informativo e não contém orientação médica. Para estabelecer um diagnóstico, consulte um médico.

Patrocinado por Google

Deixe uma resposta

Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS

Descubra mais sobre Área Militar

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading