HomeEuropaDezenas de milhares de manifestantes anti-confinamento/anti-passaporte vacinal em Londres

Dezenas de milhares de manifestantes anti-confinamento/anti-passaporte vacinal em Londres

Milhares de pessoas se manifestaram no centro de Londres contra o confinamento, que está sendo gradualmente suspenso, e contra a possível criação de passaportes de vacinas que serão usados para controle da população com o argumento para lutar contra a Covid-19.

No final da tarde de 24 de abril, Dezenas de milhares de participantes ainda estavam reunidos no centro de Londres, observou um jornalista da AFP e France 24. Hoje, vídeos postados nas redes sociais mostraram milhares de pessoas marchando pelas ruas da capital, desafiando as medidas destinadas restrições de liberdades para alegadamente conter a pandemia.

Por toda a Europa acontecem manifestações todos os sábados e domingo desde o começo das medidas de confinamento com a pandemia em meados de fevereiro/março de 2020, com variados números de pessoas. Capitais como Londres, Paris, Berlin, Roma, Madrid, Estocolmo e Copenhagen estão com os recordes de público participante.

Em todos os casos a desconfiança da população é enorme quanto aos intentos dos governos que aproveitam a desculpa da pandemia para impor regras draconianas de restrições de liberdades enquanto explodem os casos de corrupção e incompetências que giram em torno da gestão da crise da pandemia.

Apesar das manifestações declarem toda uma condição de protesto pacífico, foram registrados incidentes com ataques e depredações à centros de testes de covid em várias cidades.

Equipados com faixas e placas onde poderíamos ler slogans como “Você é controlado”, “Sem máscara, sem vacina, sem confinamento”, ou mesmo “Vamos retomar a nossa liberdade!”, Os manifestantes da marcha “Uni-vos” pela liberdade ”partiu do Hyde Park, o maior parque da capital britânica.

Apesar das restrições contra reuniões em massa, várias organizações pediram às pessoas que se manifestassem em pequenos grupos contra as últimas medidas de contenção ainda em vigor, bem como contra a potencial implementação de passaportes de vacinas, que estão sendo estudados pelo governo. Um jornalista britânico até notou a presença de enfermeiras e médicos na manifestação.

“Hoje, marchamos pela nossa liberdade médica”, indicou a página do Facebook de Save Our Rights Uk, um dos organizadores, que disse “mobilizar-se contra qualquer proposta de passaporte de vacina ou certificação do estatuto de Covid, porque vão para o ‘contra a ética médica e os nossos direitos humanos’. “Vou sobreviver a esta pandemia fazendo o contrário do que dizem”, dizia a placa orgulhosamente exibida por uma jovem, segundo a AFP.

Outros tinham guarda-chuvas brancos, nos quais haviam pintado “Não ao passaporte vax”. Esta marcha cruzou Londres quando a capital começou a suspender suas restrições , em face da melhora acentuada da situação de saúde no Reino Unido, o país mais afetado na Europa pela Covid-19 com mais de 127.000 mortes, e o progresso de vacinação.
Depois de mais de três meses de confinamento, lojas não essenciais, esplanadas de pubs e restaurantes, bem como cabeleireiros e academias na Inglaterra reabriram suas portas há quase duas semanas, devolvendo às cidades sua vivacidade.

  • Com informações France Inter, AFP, Reuters, RT France e Daily Mail UK, via redação Orbis Defense Europe.


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!