HomeChinaDocumento chinês vazado aponta coronavírus como arma biológica

Documento chinês vazado aponta coronavírus como arma biológica

Um documento escrito por cientistas chineses e autoridades de saúde antes da pandemia afirma que os coronavírus SARS eram uma “nova era de armas genéticas” que poderiam ser “artificialmente manipulados em um vírus de doença humana emergente, então armados e liberados.

Xinhua Headlines-Xi Focus: Xi stresses COVID-19 scientific research during Beijing inspection - Xinhua | English.news.cn
Xinhua/Ju Peng

O documento, em modelo de livro chinês, está abertamente à venda como um documento exclusivo vazado.

De acordo com o colunista do jornal Terça Livre, Brehnno Galgane, a Sky News australiana reportou detalhes “assustadores” de um documento produzido por cientistas militares chineses, no qual discutiram como o coronavírus poderia ser usado como arma biológica.

Acreditem, o documento foi elaborado cinco anos antes da pandemia da Covid-19, em 2015.

No, the coronavirus wasn't made in a lab, a genetic analysis shows | Science News

A jornalista australiana Sharri Markson disse que o livro de orientação militar foi escrito por cientistas do Exército de Libertação do Povo e oficiais de saúde pública chineses em 2015.

Os documentos descrevem o vírus chinês como o prenúncio de uma “nova era de armas genéticas” e afirmam que poderia ser “manipulado artificialmente em uma doença humana emergente de um vírus, então transformados em armas e liberados de uma forma nunca antes vista”.

The dossier by People's Liberation Army scientists and health officials examined the manipulation of diseases to make weapons 'in a way never seen before'
AP

O artigo em chinês é chamado de “A origem não-natural da SARS e das novas espécies de vírus sintéticos como armas biológicas genéticas”. Um dos autores do documento é o ex-vice-diretor do Escritório de Prevenção de Epidemias da China – Bureau of Disease Prevention and Control at China’s, Lee Feng.

Cientistas do Exército de Libertação do Povo estão entre os 18 autores do documento de 261 páginas.

A Global Times, uma mídia marrom e financiada pelo governo chinês, rebateu firmemente as acusações, dizendo que são manipulações para prejudicar e condenar a nação.

Inside the Viral Spread of a Coronavirus Origin Theory | Vanity Fair
JOHANNES EISELE/AFP via Getty Images

Uma parte do documento diz: “Por exemplo, a recém-descoberta capacidade de congelar e secar microrganismos tornou possível armazenar agentes biológicos e pulverizá-los durante os ataques.”

E continua dizendo: “Os ataques com armas biológicas são mais bem conduzidos durante o amanhecer, crepúsculo, noite ou tempo nublado, porque a luz solar intensa pode danificar os patógenos.”

Biological warfare: silent weapons | All you need is Biology

Mas, em outro parágrafo, o documento diz: “Os principais impactos incluem uma enorme carga no sistema de saúde. Os ataques com armas biológicas têm um efeito muito mais prolongado do que os ataques convencionais, como a explosão. Também pode levar a doenças contagiosas que podem ser transmitidas por vários meios”.

“As armas biológicas não só causarão morbidez generalizada e mortes em massa, mas também induzirão uma pressão psicológica formidável que pode afetar a eficácia do combate”, completou o documento.

Temperature concerns could slow the rollout of new coronavirus vaccines | Science | AAAS
World Health Organization/S. Hawkey

Peter Jennings, o diretor executivo do Australian Strategic Policy Institute (ASPI), disse que o documento é o mais próximo de uma arma fumegante. “Acho que isso é significativo porque mostra claramente que os cientistas chineses estavam pensando em aplicação militar para diferentes cepas do coronavírus e pensando em como isso poderia ser implantado”, disse Jennings.

O documento continuou afirmando: “Assim como em outros desastres, as pessoas viverão com medo de ataques por um período considerável de tempo após um ataque, causando danos psicológicos breves ou duradouros entre alguns.”

De acordo com os pesquisadores chineses, essas armas biológicas podem ser produzidas em massa a 0,05% do custo das armas tradicionais.

World must prepare for biological weapons that target ethnic groups based on genetics, says Cambridge University
Getty

“O documento também fala sobre o terror psicológico que as bioarmas podem causar, é assustador”, disse Markson. “Para ser clara, embora as agências de inteligência suspeitem, e estão investigando isso desde o início do ano passado, que a Covid-19 pode ser o resultado de um vazamento acidental de um laboratório de Wuhan, não há sugestão de que foi uma liberação intencional.”

“O significado deste documento é que ele oferece uma visão rara de como os cientistas de uma das universidades militares mais proeminentes do Exército de Libertação Popular da China, onde altos níveis de pesquisa de defesa foram conduzidos, estavam pensando sobre arma biológica”, apontou a jornalista.

Robert Potter, um especialista em segurança cibernética que analisa documentos do governo chinês vazados, foi convidado pelo The Australian para verificar o papel. Ele diz que o documento definitivamente não é falso, é verídico.

The Wuhan lab at the heart of the US-China virus spat
AFP

“Chegamos a uma conclusão altamente confiável de que era genuíno … Não é falso, mas cabe a outra pessoa interpretar o quão sério é”, disse Potter.

Novas pistas preocupantes sobre as origens de Covid, mostram que cientistas do laboratório do Instituto de Virologia de Wuhan – Wuhan Institute of Virology (WIV) – ajudaram o Exército chinês em um projeto secreto para encontrar vírus animais, segundo Ian Birrell.

Cientistas que estudavam doenças em morcegos no laboratório de segurança máxima da China em Wuhan estavam envolvidos em um grande projeto para investigar vírus animais ao lado de oficiais militares – apesar de negarem qualquer ligação.

Coronel Cao Wuchun e Major General Chen Wei

Os cinco líderes de equipe do esquema acima incluem Shi Zhengli, virologista WIV e apelidada de ‘Mulher Morcego’ por suas viagens para encontrar amostras em cavernas, e Cao Wuchun, um oficial sênior do Exército da China e conselheiro do governo em bioterrorismo.

A pesquisadora Shi negou as alegações dos EUA no mês passado, dizendo: “Não sei de nenhum trabalho militar no WIV. Essa informação está incorreta”, porém, não é o que está aparecendo.

Somente o tempo dirá os culpados, o modus operandi e os atuais aliados da arma biológica, pois a intenção já sabemos.

Assistam no Área Militar:

Com informações complementares Sky News, Terça Livre, NDTV, New Indian Expres, Daily Mail UK, The Australian


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Felipe Moretti
Analista militar com foco em mídia de streaming, com experiência superior a 4 anos em plataformas como o YouTube e Revistas Eletrônicas, no qual é fundador e administrador do canal Área Militar. Possui capacidade técnica para a colaboração e análises em assuntos que envolvam os meios de preservação e manutenção da vida humana, em cenários de paz ou conflito.
ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!