HomeEUAÉ muito arriscado os EUA apoiarem a tomada da Crimeia por parte...

É muito arriscado os EUA apoiarem a tomada da Crimeia por parte da Ucrânia

Os riscos assustadores do apoio americano ou das estratégias ucranianas para reconquistar a Crimeia.

Siga

Ajudar a Ucrânia a ameaçar o controle da Rússia sobre a Crimeia não é do interesse dos EUA, os riscos dessa ideia são muito grandes.

Havíamos analisado o artigo de Andriy Zagorodnyuk ao Foreign Affairs que levantou as provável manobras da Ucrânia e do ocidente que possibilitariam tomar a Península ao sul atualmente sob controle da Rússia.

Outros analistas também passaram a abordar este assunto que está chamando a atenção após a oitava reunião dos Aliados Ocidentais na Base Aérea de Ramstein, na Alemanha, que reuniu representantes de mais de 50 nações e organizações para determinar a melhor maneira de obter as capacidades militares que a Ucrânia precisa para repelir as forças russas de seu território soberano.

Nove países já prometeram fornecer ajuda militar ‘muito concreta’ à Ucrânia, a chamada ‘promessa de Tallinn’ – agora todos estão esperando a decisão da Alemanha de permitir a reexportação de tanques Leopard 2 para a Ucrânia.

Moscou transformou a área em uma guarnição gigante e ameaçadora, que então usou para invadir a Ucrânia. Enquanto a península permanecer nas mãos do Kremlin, a Ucrânia – e os ucranianos – não poderão estar livres da agressão russa.

Mas isso pode mudar após os últimos anúncios de ajuda militar do ocidente que devem chegar dentro de algumas semanas. Há muitas razões pelas quais a Crimeia deve ser devolvida.

A pegada militar da Rússia, por exemplo, é na verdade um motivo para lutar pela Crimeia, já que uma batalha pelo território degradaria seriamente a capacidade da Rússia de guerrear e aterrorizar a Ucrânia e outros estados.

Para o analista James Action, co-diretor e executivo sênior da Política Nuclear de Carnegie, ajudar a Ucrânia a ameaçar a Crimeia não é uma questão exclusivamente “militar”. Existem ramificações estratégicas e políticas que não podem ser simplesmente ignoradas.

As estratégias americanas variam conforme o cenário e o cronograma da batalha pela Crimeia. Os americanos apoiariam Kiev com mais armas para sustentar as ofensivas contra as tropas russas depois de iniciar a tomada da Crimeia. Por si só, esta missão é claramente apropriada e não escalonada.

Realizar ataques profundos contra bases russas na Crimeia para interferir nas operações da Rússia, isso já foi visto no final de 2022, e também chamou muito a atenção de Putin que retaliou com força até os dias atuais.

A Rússia pode responder a tais ataques com violência ainda mais terrível e desproporcional contra as cidades ucranianas, mas cabe a Kiev, não a Washington, decidir se acredita que os benefícios de ataques profundos superam os riscos.

Entretanto, há um ponto importante que eleva os riscos do apoio dos EUA, ou até mesmo o ataque ucraniano é: Ameaçar o controle da Rússia sobre a Crimeia. Aqui é onde estão os riscos! Por uma série de razões políticas e estratégicas, os riscos de Putin usar armas nucleares aumentariam significativamente, se ele acreditasse que seu controle sobre a Crimeia está ameaçado ou até mesmo interpretar a ação direta dos americanos na estratégia.

Para piorar as coisas, ataques profundos na Crimeia – que não são tão preocupantes em abstrato – podem se tornar escalados se parecerem fazer parte de uma estratégia de “suavizar” a Crimeia antes de retomá-la, em outras palavras, abrir caminho para avançar.

Por outro lado há uma justificativa para iniciar os preparativos bélicos ucranianos que terão como alvo a Crimeia. Os EUA justificam isso dizendo que o risco de uso nuclear russo “diminuiu”. Um erro grave.

As autoridades americanas podem estar descontando esse risco por causa da familiaridade, mas não há boa razão para diminuir as estimativas de que Putin usará armas nucleares se seu controle sobre a Crimeia estiver ameaçado.

Certamente, pessoas razoáveis podem discordar sobre a probabilidade de a Rússia usar armas nucleares na Crimeia.

É preciso ser muito cauteloso neste momento, ninguém imaginaria uma guerra tao prolongada, todos acreditavam que a Rússia acabaria o conflito em poucos meses, e depois todo mundo acreditava que o Kremlin não tinha mais armas ou força econômica para caminhar no conflito, previsões erradas.

Descartar o uso de armas nucleares por parte de Putin ao perder o controle sobre a Crimeia é criar novas previsões erradas como ao do passado, e poderia colocar em risco não o Leste Europeu, mas toda a humanidade com o início de uma Terceira Guerra onde todos perderão.

Siga
Patrocinado por Google

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR:  canalareamilitarof@gmail.com

1 COMMENT

  1. No mundo os militares estão perdendo o protagonismo. Desde que o movimento golpista foi retomado na América Latina, eles perderam prestígios, foi um erro em cima de outro. sempre provocando mortes de inocentes de forma violenta como na Bolívia e no Peru, como por inanição como aconteceu no Brasil com os índios Yanomami. Um absurdo.

Deixe uma resposta

Quero receber notícias:

ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR 

CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

AGORA!