Guerra na Ucrânia – Como funcionará o empréstimo de milhares de milhões à Ucrânia apoiados pelos activos congelados da Rússia?

Os líderes das democracias ricas do Grupo dos Sete concordaram em conceber um empréstimo de 50 mil milhões de dólares (46 mil milhões de euros) para ajudar a Ucrânia na sua luta pela sobrevivência.

Os juros obtidos sobre os lucros dos activos congelados do banco central da Rússia seriam usados ??como garantia.

Os detalhes do acordo estavam a ser discutidos pelos líderes do G7 na sua cimeira em Itália. O dinheiro poderá chegar a Kiev antes do final do ano, segundo autoridades americanas e francesas que confirmaram o acordo antes de um anúncio formal.

Veja como o plano funcionaria:

– De onde o dinheiro viria?

A maior parte do dinheiro seria na forma de um empréstimo garantido principalmente pelo governo dos EUA, apoiado por lucros obtidos em cerca de 260 mil milhões de dólares em activos russos imobilizados. A grande maioria desse dinheiro é mantida em países da União Europeia.

Uma autoridade francesa disse que o empréstimo poderia ser “completado” com dinheiro europeu ou contribuições de outros países.

Uma autoridade dos EUA disse que a declaração oficial dos líderes do G7, que será divulgada na sexta-feira, deixará a porta aberta para a tentativa de confisco total dos ativos russos.

– Por que não entregar simplesmente à Ucrânia os activos congelados?

Isso é muito mais difícil de fazer.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, caminha com o primeiro-ministro italiano, Giorgia Meloni, após sua chegada à cúpula do G7 em Borgo Egnazia, Itália (Sean Kilpatrick/The Canadian Press via AP)

Durante mais de um ano, autoridades de vários países debateram a legalidade de confiscar o dinheiro e enviá-lo para a Ucrânia.

Os EUA e os seus aliados congelaram imediatamente todos os activos do banco central russo a que tinham acesso quando Moscovo invadiu a Ucrânia em 2022. Basicamente, tratava-se de dinheiro detido em bancos fora da Rússia.

Os bens estão imobilizados e não podem ser acedidos por Moscovo, mas ainda pertencem à Rússia.

Embora os governos possam geralmente congelar bens ou fundos sem dificuldade, transformá-los em bens confiscados que possam ser utilizados em benefício da Ucrânia requer uma camada extra de procedimento judicial, incluindo uma base jurídica e julgamento em tribunal.

Em vez disso, a UE reservou os lucros gerados pelos activos congelados. Esse pote de dinheiro é mais fácil de acessar.

Separadamente, os EUA aprovaram este ano uma lei chamada Lei REPO – abreviatura de Lei de Reconstrução da Prosperidade e Oportunidades Económicas para os Ucranianos – que permite à administração Biden confiscar 5 mil milhões de dólares em activos estatais russos nos EUA e utilizá-los em benefício de Kiev. . Esse acordo está sendo elaborado.

– Como o empréstimo poderia ser utilizado e quando?

Caberá aos especialistas técnicos trabalhar nos detalhes.

A Ucrânia poderá gastar o dinheiro em diversas áreas, inclusive para necessidades militares, económicas e humanitárias e para a reconstrução, disse o responsável dos EUA.

O conselheiro de segurança nacional do presidente dos EUA, Joe Biden, Jake Sullivan, disse que o objetivo é “fornecer agora à Ucrânia os recursos necessários para a sua energia económica e outras necessidades, para que seja capaz de ter a resiliência necessária para resistir à contínua agressão da Rússia”.

O presidente dos EUA, Joe Biden, faz sinal de positivo ao passar por várias bandeiras internacionais ao chegar à Cúpula do G7 em Borgo Egnazia, sul da Itália
O presidente dos EUA, Joe Biden, chega à cúpula do G7 em Borgo Egnazia, sul da Itália (Sean Kilpatrick/The Canadian Press via AP)

Outro objetivo é levar o dinheiro rapidamente para a Ucrânia.

O responsável francês disse que os detalhes poderão ser acertados “muito rapidamente e em qualquer caso, os 50 mil milhões de dólares serão desembolsados ??antes do final de 2024”.

Além dos custos da guerra, as necessidades são grandes.

A última avaliação dos danos à Ucrânia feita pelo Banco Mundial, divulgada em Fevereiro, estima que os custos para a reconstrução e recuperação da nação ascendam a 486 mil milhões de dólares nos próximos 10 anos.

A medida para desbloquear os activos da Rússia surge depois de ter havido um longo atraso em Washington por parte do Congresso na aprovação da ajuda militar à Ucrânia.

Num evento do Atlantic Council que antecedeu a cimeira do G7, um antigo embaixador dos EUA na Ucrânia, John Herbst, disse que “o facto de o financiamento americano não ser muito fiável é uma razão adicional muito importante para seguir esse caminho”.

– Quem ficaria em responsabilidade em caso de inadimplência?

Se a Rússia recuperasse o controlo dos seus activos congelados ou se os fundos imobilizados não gerassem juros suficientes para pagar o empréstimo, “então surge a questão da partilha de encargos”, segundo o responsável francês.

Max Bergmann, diretor do Programa Europa, Rússia e Eurásia do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, disse na semana passada que havia preocupações entre os ministros das finanças europeus de que os seus países “ficariam na mão caso a Ucrânia entrasse em incumprimento”.

Patrocinado por Google
Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Descubra mais sobre Área Militar

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading