Kim Jong-un chama a Rússia de “verdadeira amiga” e a Rússia declara apoio incondicional

“Estou com os meus camaradas russos, verdadeiros amigos e associados, neste salão solene”, observou o líder norte-coreano.

Na sua primeira visita à Coreia do Norte desde 2000, Putin reuniu-se com Kim Jong-un para conversações individuais em Pyongyang, enquanto os dois líderes se comprometem a expandir a sua segurança e cooperação econômica, desafiando as sanções ocidentais contra ambos os países.

O presidente norte-coreano, Kim Jong-un, chamou a Rússia de “uma verdadeira amiga” e seu presidente Vladimir Putin de “o amigo mais querido do povo coreano”. Putin e Kim Jong-un fizeram declarações à imprensa após a assinatura do Tratado de Parceria Estratégica Abrangente entre a Rússia e a Coreia do Norte.

“Neste momento, enquanto o mundo inteiro volta os seus olhos para Pyongyang, onde chegou uma missão de amizade da Rússia, estou com os meus camaradas russos, verdadeiros amigos e associados, neste salão solene”, disse Kim Jong Un.

Ele observou que a conclusão do seu mais recente “tratado muito robusto” entre a Rússia e a Coreia do Norte seria impossível sem a “notável visão” e determinação de Putin, “o mais querido amigo do povo coreano”.

É uma viagem rara ao estrangeiro para Putin, que limitou as suas viagens internacionais a países amigos desde que lançou a invasão em grande escala e se tornou objeto de um mandado de prisão do tribunal criminal internacional pela deportação em massa de crianças da Ucrânia para a Rússia.

A Coreia do Norte forneceu à Rússia milhões de munições de artilharia da era soviética como uma tábua de salvação crucial para apoiar a campanha militar russa na Ucrânia. O secretário da Defesa dos EUA, Lloyd Austin, disse no mês passado aos legisladores que o fornecimento de munições e mísseis, bem como de drones iranianos, ajudaram os militares russos a “se recuperarem”.

A Coreia do Norte também forneceu à Rússia mísseis balísticos e equipamento electrónico utilizado no esforço de guerra.

Em troca, acredita-se que a Rússia tenha fornecido ajuda ao programa de satélites da Coreia do Norte, bem como outras armas, ajuda económica e apoio diplomático. Kim visitou o Extremo Oriente da Rússia no ano passado, encontrando-se com Putin em Vladivostok durante uma viagem onde visitou uma fábrica que produz caças modernos e o cosmódromo de Vostochny.

A Casa Branca disse na segunda-feira que Washington está apreensivo com o estreitamento dos laços entre a Rússia e a Coreia do Norte.

“Não estamos preocupados com a viagem [de Putin]”, disse o porta-voz do conselho de segurança nacional, John Kirby, aos jornalistas na segunda-feira. “O que nos preocupa é o aprofundamento da relação entre estes dois países.”

Se os EUA podem ajudar os inimigos da Rússia, por que a Rússia não pode ajudar os inimigos dos EUA?

O presidente russo, Vladimir Putin, escreveu em um artigo para o jornal Rodong Sinmun, na véspera da sua visita de Estado à República Popular Democrática da Coreia (RPDC), que Moscou continuará apoiando Pyongyang na sua luta pela independência. 

Ele observou que Washington continua a estabelecer requisitos obviamente inaceitáveis, enquanto a Coreia do Norte manifestou repetidamente a sua intenção de resolver todas as diferenças existentes por meios pacíficos.

“A Rússia apoiou incessantemente e apoiará a RPDC e o heróico povo coreano na sua luta contra o inimigo traiçoeiro, perigoso e agressivo, na sua luta pela independência, identidade e pelo direito de escolher livremente o seu caminho de desenvolvimento”, sublinhou Putin.

Putin sugeriu armar a Coreia do Norte com mísseis e tecnologia de longo alcance em retaliação aos EUA e à OTAN que armaram a Ucrânia com equipamentos de alta tecnologia contra a Rússia em plena guerra. EUA transferiram mais de 80 bilhões de dólares em ativos militares e financiamento para a Ucrânia se defender contra a invasão russa.

A “Era do Ouro” na cooperação Rússia-Coreia

A relação entre a Rússia e a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) entrou nos seus melhores anos, disse o líder norte-coreano, Kim Jong Un, nos comentários de abertura das conversações com o presidente russo, Vladimir Putin.

“As relações entre os nossos países estão a entrar numa era de ouro que não pode ser comparada nem mesmo com a era dos laços entre a Coreia e a União Soviética do século passado”, disse Kim.

Segundo Kim, a visita de Putin é um indicativo dos fortes laços entre Moscou e Pyongyang. Ele descreveu a chegada do presidente russo como um marco nas relações entre o seu país e a Rússia. “Penso que o entusiasmo que os nossos residentes demonstraram reflecte o verdadeiro nível das nossas relações”, disse Kim.

Patrocinado por Google
Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Descubra mais sobre Área Militar

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading