HomeAmérica do SulMortes de ex-rebeldes colombianos das FARC podem chegar a 1.600 até o...

Mortes de ex-rebeldes colombianos das FARC podem chegar a 1.600 até o final de 2024

Ex-combatentes das FARC que buscam se reintegrar na vida civil são mortos por ações atuais ou por consequências do passado

Cerca de 1.600 ex-guerrilheiros das FARC terão sido assassinados até o final de 2024 se os níveis atuais de assassinatos seletivos continuarem, disse o Tribunal de Justiça Transicional da Colômbia na quarta-feira.

O governo assinou um acordo de paz em 2016 com o alto escalão das FARC, que desmobilizou suas forças, encerrando a participação do grupo em quase seis décadas de conflito, porém, dissidentes foram formados, e sinais do retorno da violência do grupo foram observados recentemente com as mortes na fronteira entre Colômbia e Venezuela que o site Área Militar noticiou em artigo investigativo.

A violência no país, que o governo atribui às gangues do crime e aos rebeldes que rejeitam o acordo, atinge ex-guerrilheiros.

Colombia's Farc rebels - 50 years of conflict - BBC News

Eles enfrentam altos níveis de perigo, de acordo com um relatório da unidade de investigação do Tribunal de Jurisdição Especial para a Paz (JEP), com alguns ex-combatentes em situação “crítica” em 10 municípios da Colômbia.

Entre 14 e 21 de abril, sete ex-combatentes foram mortos, ou cerca de um a cada 24 horas, segundo a unidade.

“Se a variável temporária de assassinatos de (combatentes) reintegrados continuar, o número desses crimes pode chegar a 1.600 até o final de 2024”, disse o relatório.

Até o momento, 271 ex-combatentes foram mortos desde a assinatura do acordo de paz, segundo o Comunes, partido político formado por membros desmobilizados das FARC.

Os ex-combatentes das FARC que assumiram funções como líderes comunitários são especialmente vulneráveis, disse o tribunal. Dos ex-combatentes assassinados, 20% exerciam funções de liderança em projetos econômicos, cooperativas ou substituição de cultivos ilícitos como a coca, principal ingrediente da cocaína.

“Este padrão mostra como as posições de liderança assumidas por algumas pessoas reintegradas durante sua transição para a vida civil estão relacionadas às causas de sua vitimização”, disse o Tribunal de Jurisdição Especial para a Paz.

Com informações da Reuters, Felipe Moretti, via Redação Área Militar

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

Deixe uma resposta


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

AGORA!