HomeLESTE EUROPEUNavio russo com mísseis ancorou no Mar Negro, especula-se que a Rússia...

Navio russo com mísseis ancorou no Mar Negro, especula-se que a Rússia pode iniciar a maior série de bombardeios

Um novo navio de guerra russo com mísseis Kalibr ancorou no Mar Negro, suspeita-se que novos ataques podem acontecer a qualquer momento.

Siga

As autoridades ucranianas alertaram que esperam enfrentar uma nova onda de ataques com mísseis russos nos próximos dias.

“A próxima semana pode ser tão difícil quanto na semana passada”, disse o presidente Volodymyr Zelenskyy em seu discurso noturno em vídeo no domingo.

Ataques de mísseis anteriores em território ucraniano tiveram como alvo a infraestrutura de energia do país, causando cortes maciços de água e energia. “Nossas forças de defesa estão se preparando, todo o estado está se preparando”, disse Zelenskyy. “E enquanto eles tiverem mísseis, eles, infelizmente, não vão se acalmar.”

“Estamos trabalhando em todos os cenários, inclusive com parceiros ocidentais”, acrescentou, pedindo aos ucranianos que prestem atenção aos avisos antiaéreos.

Milhões de pessoas, incluindo a maior parte da capital Kiev, ficaram sem energia na semana passada, com o início das temperaturas de inverno.

De acordo com a operadora nacional Ukrenergo, cerca de 27% das residências ainda enfrentam falta de eletricidade, enquanto os cortes de energia de emergência ainda estão em vigor em todo o país.

O prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, trocou farpas com o presidente da Ucrânia sobre como ajudar os moradores a resistir aos cortes de energia.

Zelenskyy havia notado na semana passada que muitos na capital reclamaram das medidas da cidade após os ataques da Rússia, mas Klitschko disse que 430 “centros de aquecimento” já estavam ajudando os moradores a lidar e disse que qualquer disputa era “sem sentido” em meio à campanha militar da Rússia.

“Não quero me envolver em batalhas políticas, principalmente na situação atual”, disse Klitschko em um vídeo postado no Telegram.

Os militares da Ucrânia dizem que um navio de guerra russo carregando “oito mísseis do tipo Kalibr” apareceu no Mar Negro. “É muito provável que o início da semana seja marcado por tal ataque”, disse Natalia Goumeniouk, porta-voz do comando sul do exército ucraniano.

“Isso indica que os preparativos estão em andamento”, disse ela à televisão ucraniana na segunda-feira.

O Kremlin negou na semana passada que seus ataques à rede elétrica da Ucrânia visassem civis, mas disse que Kiev poderia “acabar com o sofrimento” de sua população atendendo às demandas da Rússia para resolver o conflito.

Usina nuclear de Zaporizhzhia pode ser alvo de ataques

A maior usina nuclear da Europa, no sul da Ucrânia, continua sob controle russo, segundo autoridades instaladas por Moscou.

As autoridades da cidade vizinha de Enerhodar disseram na segunda-feira que as forças russas ainda ocupam a instalação em Zaporizhzhia.

O chefe da empresa estatal de energia nuclear da Ucrânia sugeriu que havia sinais de que as forças russas poderiam estar se preparando para desocupar a vasta usina que tomaram em março, logo após invadir a Ucrânia.

O conselheiro presidencial ucraniano Mykhailo Podolyak disse na noite de domingo que não tinha dúvidas de que as forças russas deixariam a usina, onde funcionários ucranianos de Enerhodar ainda estão operando.

Mas a administração instalada pela Rússia, Enerhodar, disse que as alegações “não eram verdadeiras”.

“A mídia está espalhando ativamente notícias falsas de que a Rússia está supostamente planejando … deixar a [fábrica]”, dizia um comunicado no Telegram.

“Não há necessidade de procurar sinais onde não há e não pode haver nenhum”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a repórteres em entrevista coletiva na segunda-feira.

A Ucrânia e a Rússia acusaram-se mutuamente de bombardear o local de Zaporizhzhia em meio a temores de uma catástrofe nuclear.

A Agência Internacional de Energia Atômica da ONU (AIEA) quer criar uma zona de proteção ao redor da usina nuclear. Zaporizhzhia foi uma das quatro regiões ucranianas anexadas por Moscou em setembro. Kyiv e seus aliados ocidentais condenam a medida como ilegal.

Combates intensos no leste da Ucrânia

A região de Donetsk, no leste da Ucrânia, outra anexada pela Rússia, tem estado no centro de batalhas recentes.

Depois que a Rússia retirou suas forças da cidade de Kherson, no sul, ela transferiu soldados para a região de Donbass.

O presidente da Ucrânia, Zelenskyy, observou que a situação continua tensa e “muito difícil” em várias linhas de frente, embora nenhum ataque devastador tenha sido relatado recentemente.

O Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia afirmou na segunda-feira que as forças ucranianas repeliram ataques russos em várias áreas, incluindo Bakhmut e Avdiivka.

Os militares da Ucrânia também disseram que suas forças destruíram seis unidades de equipamento militar russo e feriram cerca de 30 soldados perto de Enerhodar. As reivindicações do campo de batalha não puderam ser verificadas imediatamente.

Os analistas previram que o próximo inverno poderia ter um impacto crescente na direção da guerra.

“Não está claro se algum dos lados está planejando ou se preparando ativamente para retomar as grandes operações ofensivas ou contra-ofensivas naquele momento, mas os fatores meteorológicos que têm impedido essas operações começarão a se dissipar”, disse o Instituto para o Estudo da Guerra. fim de semana.

Apesar de deixar a cidade de Kherson, as forças russas se entrincheiraram na margem leste do rio Dnipro e agora estão bombardeando a cidade do outro lado do rio.

Pelo menos 32 pessoas na região de Kherson foram mortas por ataques russos desde a retirada em 11 de novembro.

A administração apoiada pela Rússia em Nova Kakhovka, uma cidade perto de Kherson, também informou que um civil foi morto e outro ferido em um bombardeio ucraniano na noite de domingo.

Siga
Patrocinado por Google

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR:  canalareamilitarof@gmail.com

Deixe uma resposta

Quero receber notícias:

ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR 

CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

AGORA!