HomeChinaO Programa de Crédito Social do Partido Comunista Chinês (PCC) no Canadá...

O Programa de Crédito Social do Partido Comunista Chinês (PCC) no Canadá e a mobilização contra o PCC

O Partido Comunista Chinês vigia e acompanha seus povos e estrangeiros por meio de alta tecnologia que o torna forte e robusto para suprimir ações contra o governo e ideais expansionista chinês no exterior

A escritora Jennifer Zeng, que no passado foi presa e torturada pelo governo chinês, elaborou um artigo importante sobre como o sistema de “Pontuação de Crédito Social” do Partido Comunista Chinês (PCC) no Canadá funciona, como esse sistema pode chegar à sua cidade e como o movimento “livre-se do PCC” pode acabar com a influência do PCC em 5 anos.

HaiDiLao by Beleco, Photo by Bethany Nauert

Há algum tempo, Zenga compartilhou uma notícia do Liberty Times de Taiwan. O relatório diziz que a filial de Vancouver da famosa rede de restaurantes chinesa “Haidilao Hot Pot” tem mais de 60 câmeras instaladas, com 2 câmeras em cada mesa.

Imagens gravadas de funcionários e clientes são enviadas de volta para a China. O gerente deste restaurante, Ryan Pan, confirmou que a notícia é verdadeira, mas se recusou a divulgar qual é o propósito, dizendo que se trata de um “segredo”.

Na verdade, essa notícia foi divulgada pela primeira vez pelo Sunday Guardian, com o título “Programa de crédito social da China se arrasta para o Canadá”.

Pequim. AP

Obviamente, essas câmeras fazem parte do sistema de pontuação de crédito social do PCC, que é usado para monitorar todos os cidadãos e decidir que tipo de tratamento eles podem receber com base em suas pontuações.

O que é assustador sobre esta notícia é que restaurantes chineses como “Haidilao Hot Pot” e lojas chinesas estão em todo o mundo agora. Como sabemos quantos deles e quais estão coletando dados para o PCC?

E outro desafio é, mesmo que saibamos, há alguma maneira de impedi-los de fazer isso? Parece que o PCC não está apenas coletando dados de cidadãos chineses, mas também de chineses que vivem no exterior, bem como de pessoas de outras nacionalidades.

Esta notícia remete uma história verídica de uma sobrevivente do governo chinês por também ser praticante do Falun Gong e contra a ditadura chinesa e, recentemente, conseguiu escapar do país.

Caso você não saiba, o Falun Gong é um sistema de autoaperfeiçoamento pacífico, mental, corporal e espiritual, incluindo meditação. Originou-se na China em 1992 e está sob a perseguição mais severa desde 1999.
Esta praticante do Falun Gong disse que em 2019, ela e seu marido, que também é praticante do Falun Gong, pegaram o trem para Pequim, mas foram parados e ordenados a descer na estação pouco antes da capital.
Descobriu-se que a polícia local já havia descoberto que eles haviam comprado passagens de trem por meio do sistema de pontuação de crédito social. Assim, a polícia local entrou em contato com a polícia ferroviária com urgência, e esta os localizou no trem e ordenou que descessem.

Dois policias da SWAT chinesa durante atendimento de extrema urgência no metrô chinês. AFP

Depois de descer do trem, eles não tiveram outra escolha a não ser comprar duas passagens de volta. Quando ligaram para a polícia local, por ordem da polícia ferroviária, a polícia local disse que já sabia que haviam comprado passagens de volta.

Este é o quão avançado este sistema já é, e quão rígido ele pode monitorar e controlar as pessoas.

Os chineses têm um ditado chamado Nuo Ben (裸奔), que significa correr na rua com o corpo nu. Portanto, parece que agora todo mundo na China está correndo nas ruas com o corpo nu.

Essas histórias são especialmente relevantes agora, pois há muitas semelhanças entre esse sistema e o sistema de passaporte de vacina de que se falam agora. Este é realmente outro grande desafio a ser enfrentado nesta era digital em que vivemos.

O movimento Tuidang realizado em Taipei, Taiwan.

Um dia histórico no movimento Tuidang (sair do partido)

Em 20 de abril, o número de pessoas que publicaram suas declarações para se retirarem do PCC, de sua Liga da Juventude e dos Jovens Pioneiros ultrapassou 376 milhões de pessoas.

Este é um novo marco para este “Movimento Tuidang (que significa‘ Sair do Partido ’) de base que começou em 2004.

A cifra de 376 milhões de pessoas ultrapassou em muito o número de soviéticos que se retiraram do Partido Comunista Soviético antes do colapso da União Soviética em 1991.

Esse número (376 milhões) também representa 26,8% da população total da China. Em outras palavras, pelo menos uma em cada quatro pessoas declarou sua oposição ao PCC e renunciou às organizações relacionadas ao PCC. Você pode perguntar, isso é possível? E esse “Movimento Tuidang” vai desencadear a desintegração do PCC?

PCC em 2017. Thomas Peter/Reuters

Três Organizações do PCC e as promessas mortais

A retirada do PCC, sua Liga da Juventude e os Jovens Pioneiros também é chamada de “Três Retiradas” pelo povo chinês. O site Tuidang é onde três declarações de retirada são publicadas.

No sistema comunista, além do Partido Comunista, também estão sob seu controle a Liga da Juventude Comunista e os Jovens Pioneiros.

Na China, o ensino fundamental é obrigatório. As crianças vão para a escola primária aos 6 anos e se formam aos 12. O PCC exige que quase todos os alunos do ensino fundamental se juntem aos Jovens Pioneiros, e ingressar nele é considerado um distintivo de honra.

Toda criança é solicitada a levantar o punho direito para fazer uma promessa à bandeira vermelha dos Jovens Pioneiros. Eles devem jurar: “Sou um membro dos Jovens Pioneiros da China. Sob a bandeira dos Jovens Pioneiros, prometo amar o PCC, a pátria mãe e o povo, estudar bem, me exercitar bem e estar pronto para a qualquer momento para contribuir com todas as minhas forças para a causa do comunismo. ”

Ou seja, sob o sistema comunista, crianças de apenas seis anos são forçadas a fazer um juramento de estarem prontas para contribuir “com todas as suas forças” para o comunismo antes de entenderem o que é um partido político ou o que é socialismo ou comunismo.

Quando as crianças entram no ensino médio, são convidadas a ingressar na Liga da Juventude Comunista. Novamente, os alunos são obrigados a levantar o punho direito e fazer esta promessa:

“Eu prometo me juntar à Liga da Juventude Comunista Chinesa voluntariamente. Eu apoio firmemente a liderança do PCC, obedeço à constituição da Liga Juvenil, cumpro suas resoluções, cumpro suas obrigações como membro, cumpro estritamente sua disciplina, estudo diligentemente, trabalho ativamente, faço contribuições e sofro dificuldades diante dos outros, deixe os outros aproveitarem os benefícios antes de mim e se esforçarem arduamente pela causa do comunismo”.

O juramento de ser membro do PCC é um pouco semelhante, mas com um final diferente e mortal que promete “sacrificar tudo”.

Jovens chinesas cedendo ao punho direito do governo chinês. AFP

A versão atual, que foi criada em 1982, é assim:

“Eu me comprometo a me juntar ao PCC voluntariamente, defender as diretrizes do Partido, cumprir a constituição do Partido, cumprir minhas obrigações como membro, cumprir as decisões do Partido, cumprir estritamente a disciplina do Partido, manter os segredos do Partido, ser leal ao Partido, trabalhar ativamente, lutar pelo comunismo por toda a minha vida, estar pronto para sacrificar tudo pelo Partido e pelo povo a qualquer momento, e nunca trair o Partido”.

Portanto, o PCC exige que seus membros “sacrifiquem tudo” e “nunca traiam o Partido”. Claro que tudo inclui a vida de uma pessoa, certo?

“Nunca traia o Partido” significa que você é um escravo para o resto da vida. Se você trair, o PCC tem o direito de puni-lo e até mesmo de matá-lo, já que você mesmo fez um juramento mortal, certo?

Então este PCC é um partido político? Definitivamente não. Seu juramento soa como o de um culto maligno, uma máfia e uma gangue criminosa.

Visto que o PCC é o partido governante na China, seus membros podem desfrutar de muitos benefícios. Como resultado, o número de pessoas que podem ser aprovadas para se juntar ao PCC é pequeno.

Atualmente, o número de membros do PCC na China é inferior a 100 milhões em uma população de 1,4 bilhão, e a porcentagem de membros do Partido na população é inferior a 7%.

No entanto, mais de 95% dos chineses se juntaram aos Jovens Pioneiros, o que significa que, de uma população de 1,4 bilhão, o número máximo de pessoas que podem fazer uma declaração de “Três Retiradas” é 1,3 bilhão.

Um movimento desencadeado pelos “Nove Comentários sobre o Partido Comunista”

O Movimento Tuidang, também chamado de Movimento das Três Retiradas, foi desencadeado pela série editorial “Nove Comentários sobre o Partido Comunista”, publicada pela primeira vez na edição em chinês do Epoch Times em 19 de novembro de 2004.

Os “Nove Comentários sobre o Partido Comunista” expõem de forma abrangente a história de matança sangrenta do PCC e dão uma análise profunda da natureza enganosa, violenta, cultuada e desonesta do Partido em diferentes áreas da história, política, economia, cultura e fé.

A Parte 7 dos Nove Comentários é intitulada, “Sobre a história de assassinatos do Partido Comunista Chinês”. Ele afirma que “Sob o governo do PCC, 60 a 80 milhões de chineses inocentes foram mortos, deixando suas famílias desfeitas para trás”.

Este número excede o número total de mortes em ambas as guerras mundiais combinadas.

Desde 1949, o PCC perseguiu mais da metade das pessoas na China.

Em 12 de janeiro de 2005, o Epoch Times publicou uma declaração pedindo que o povo chinês se retirasse do PCC e de suas organizações relacionadas.

Em 22 de fevereiro de 2005, mais de 10 organizações, incluindo o grupo de mídia Epoch Times, Farewell to the CCP Alliance, Global Coalition to Bring Jiang [Zemin] to Justice, e o site Nine Commentaries, juntaram forças para estabelecer o Centro Global de Serviços para Desistir do PCC, uma organização de serviços sem fins lucrativos que auxilia as pessoas com as Três Retiradas.

Como o PCC é uma ditadura, o povo chinês está sob controle estrito. Por razões de segurança, muitas pessoas escolheram pseudônimos quando publicaram suas declarações de Três Retiradas. Eles acreditam que Deus vê o coração das pessoas e eles podem desfazer suas promessas mortais feitas ao Partido ao rejeitá-las.

Quando as pessoas enviam suas declarações, um número exclusivo é criado para elas pelo Centro de Serviços Globais para Sair do PCC. As pessoas podem rastrear o status de suas declarações usando esse número exclusivo.

Os voluntários do Centro de Serviços Globais para Desistir do CCP verificam as declarações para garantir que sejam autênticas antes de serem liberadas online.

Depois que a declaração é publicada, um certificado em inglês e chinês fica disponível para o remetente fazer o download e imprimir.

Alto escalão chinês. AFP

Os membros seniores do CCP também optam por sair

Um fenômeno notável durante os estágios iniciais do movimento Tuidang foi que um número significativo das Três Retiradas veio dos altos escalões do PCC, incluindo funcionários do Conselho de Estado, ministérios, Congresso Nacional do Povo, Escola Central do Partido e provinciais e quadros municipais.

Por exemplo, uma pessoa do Conselho de Estado usou o nome Hua Tianming para apresentar uma declaração em 27 de dezembro de 2004. A declaração diz: “Era contra minha vontade ser um capanga. Eu quero pedir desculpas ao povo chinês. Só espero que o PCC acabe mais cedo. ”

Sua assinatura indicava que ele era membro de um determinado escritório do Conselho de Estado.

Especialista da China: O PCC se dissolverá de dentro

Todos nós sabemos que em 25 de dezembro de 1991, a União Soviética, o primeiro regime comunista do mundo, entrou em colapso.

E antes do colapso da União Soviética, houve uma onda de renúncias do Partido Comunista, com mais de 20% de seus membros tendo deixado o Partido.

Da mesma forma, o movimento Tuidang na China capacitou cerca de 27 por cento da população chinesa a rejeitar o PCC de uma forma ou de outra até agora.

O número atual de chineses que rejeitaram o PCCh é mais do que 20% dos membros comunistas que deixaram a União Soviética antes do colapso.

Então, por que o PCC ainda não caiu? O especialista em China Shi Shan disse ao Epoch Times que há muitas razões, mas as duas principais são:

Primeiro, o PCC é o grupo governante mais poderoso da história da humanidade em termos de controle de pessoas.

Nenhum outro regime na história ou no mundo foi como o PCC, que não apenas controla onde as pessoas podem viver por meio de um sistema de registro familiar, mas também controla as crenças e pensamentos das pessoas, seus empregos, vida familiar e até mesmo quantos filhos eles podem. ter.

Com a ajuda de alta tecnologia, o PCC hoje usa os métodos de vigilância mais invasivos para controlar a vida diária de todos, como o chamado sistema de pontuação de crédito social de que falamos hoje. O governo comunista é como uma panela de alta pressão, impedindo as pessoas de se moverem.

Em segundo lugar, o PCC usa o mercado continental como isca, ligando a economia à política para atrair investimentos de capital internacional na China que trazem novos nutrientes e sangue para o corpo em estado crítico do PCC, permitindo-lhe continuar a sobreviver.

No entanto, a maré do movimento Tuidang já começou a desmantelar o PCC por dentro. Embora muitas pessoas não tenham revelado abertamente suas verdadeiras identidades quando se retiraram e ainda estivessem trabalhando para o PCC para ganhar a vida na superfície, eles essencialmente se separaram do PCC em seus corações.

Uma vez que o ambiente externo mude, essa força de oposição interna contribuirá para o rápido colapso do PCC.

Com base na taxa atual das Três Retiradas, há pelo menos 50.000 pessoas desistindo por dia. Isso significa mais de 20 milhões em um ano.

Em cinco anos, mais de 100 milhões de pessoas terão se retirado. Portanto, em 2026, o número total de Três Retiradas pode chegar a 500 milhões, o que representa 35 por cento da população total da China.

Isso também significa que pelo menos uma em cada três pessoas terá se retirado.

O Partido Comunista Chinês vigia e acompanha seus povos e estrangeiros por meio de alta tecnologia que o torna forte, robusto, complexo e violento o suficiente para suprimir ações contra o governo e ideais expansionista chinês no exterior, como no Canadá, assim, com os movimentos de retirada, analistas creem que é questão de tempo até para o fim do PCC que se de desintegrará por dentro, como o Partido Comunista Soviético.

Assista o relato da própria Jennifer Zeng.

Jennifer Zeng, Felipe Moretti, via Redação Área Militar


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Felipe Moretti
Analista militar com foco em mídia de streaming, com experiência superior a 4 anos em plataformas como o YouTube e Revistas Eletrônicas, no qual é fundador e administrador do canal Área Militar. Possui capacidade técnica para a colaboração e análises em assuntos que envolvam os meios de preservação e manutenção da vida humana, em cenários de paz ou conflito.
ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!