HomeBrasilOficial! O Novo Camuflado Dos Fuzileiros Navais Brasileiros

Oficial! O Novo Camuflado Dos Fuzileiros Navais Brasileiros

O novo camuflado dos Fuzileiros Navais está oficialmente lançado

A origem do Corpo de Fuzileiros navais brasileiros remonta o período colonial marcado pelo tempestuoso atrito entre a Corte Portuguesa e a força militar de Napoleão Bonaparte, o Imperador da França, assim, na busca em se desvencilhar da subordinação monárquica, a Família Real zarpa ao novo mundo em terras brasileiras sob escolta da Brigada Real da Marinha com seu típico e lendário fardamento da época, e partir da chegada do Príncipe Regente D. João e da Rainha D. Maria I em 7 de março de 1808, a então Brigada Real se tornaria o atual Corpo de Fuzileiros Navais, um Corpo militar nobre e intocável.

Diante de suas participações ao longo do tempo, o que incluíram as guerras na Guiana Francesa contra tropas francesas e as missões de paz em diversos pontos do planeta, o Corpo de Fuzileiros Navais, pelo seu caráter anfíbio, e características muito próximas de seu irmão de armas, o Exército Brasileiro, confere prontidão operativa e capacidade expedicionária ao Poder Naval ampliando suas possibilidades para atuar, tempestiva e eficazmente, em qualquer região que configure um cenário estratégico de interesse, seja na Amazônia Azul, ou adentrando nas mais particulares regiões ribeirinhas de todo o Brasil.

Para isso, os Fuzileiros têm à sua disposição diversos equipamentos operacionais logísticos e de artilharias, destaques para o francês Mistral, aos obuses L118 de 105 mm, ao sistema ASTROS 2020, aos Veículos blindados de transporte de tropa e aos CLANFs, conferindo-lhes condições de atuar contra qualquer inimigo a qualquer tempo.

Fuzileiros Navais participam na zona norte do Rio de Janeiro. Fernando Frazão

Para o sucesso de qualquer missão, não bastam os dispositivos operacionais, é necessário um camuflado autêntico que traduz as linhas da atuação silenciosa e mortal dos Fuzileiros Navais, exatamente por isso que a Marinha do Brasil, desde 2018, vinha desenvolvendo um novo camuflado no programa Produto Estratégico de Defesa.

A fase inicial de testes iniciou em 8 de julho do ano passado, no Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais, o Batalhão Tonelero, e também foi utilizado, em caráter experimental, por um pelotão de Fuzileiros Navais durante a Operação Formosa, entre os dias 8 e 17 de julho do mesmo ano.

As particularidades do camuflado que até então estava em período de testes, correspondem a um tecido mais confortável, com propriedades térmicas, que distribuem melhor o calor pelo corpo, repelente de insetos e com propriedade antimicrobiano, além de ser resistente e de alta durabilidade.

MARAMBEX 2017. Yam Wanders

O atual camuflado para operações de selva, vegetação mais escura e ribeirinha será mantido, os testes se seguiam somente no camuflado para atuação em área urbana e rural, onde o cenário é mais claro, sendo aplicado o método pixelizado de tons em bege, cinza e verde-claro, ideal, por exemplo, nas operações sensíveis de Garantia da Lei e da Ordem, como ocorreu no Rio de Janeiro em 2017.

WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Na ocasião, a Força de Pacificação contou com a nobre presença de um grupamento operativo de fuzileiros navais nucleado por um Batalhão de Infantaria de fuzileiros, e a partir das condições ambientais e espaço reduzido, a camuflagem se tornou a principal arma no combate ao crime organizado, dificultando a atuação dos terroristas e resguardando a integridade física da tropa.

Os testes continuaram ao longo de 2020 e início de 2021. O camuflado foi posto em ambiente urbano e rural a distância de 15 m entre os autores de um possível beligerante, além disso, foram empregados equipamentos de visão noturna com irradiação infravermelha sob o fardamento em teste.

A conclusão não seria outra, o tecido camuflado manteve eficiência de ocultamento e alta performance nos ambientes, assim, oficialmente, a Marinha do Brasil divulgou, em 07 de maio, o novo camuflado no Regulamento de Uniformes da Marinha nas Normas Gerais e Básicas sobre os uniformes da Marinha.

O novo camuflado multipropósito operativo e de verão será utilizado por oficiais, guardas-marinhas e praças, sendo composto pela bandeira do Brasil e o novo padrão pixelizado verde-musgo na calça, gandola e gorro, e os legítimos coturnos marrons.

A confecção do camuflado se baseou na tecnologia combinatória de algodão com poliamida de alta tenacidade nos tecidos DURAPRO NYCO da empresa SANTISTA, que mescla 50% da fibra de poliamida e 50% de algodão e tecido CORDURA, traduzindo resistência à abrasão e à tração acima de 80 Kgf, maior resistência de ignição ao fogo, resistência ao rasgo com a tecnologia Rip Stop, e tecido reconhecido internacionalmente pela segurança.

Nobres COMANFs

O novo conjunto camuflado operativo urbano e rural representa a capacidade nacional em desenvolver tecnologia de alta competência, estimula a produção da indústria têxtil e de confecção nacional com novos métodos e traz alinhamento em operações especiais que requer métodos discretos, porém mortais, aos fuzileiros navais brasileiros.

Para saber detalhes e outras informações, acesse ao Regulamento de Uniformes da Marinha do Brasil.

Felipe Moretti


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!