HomeEuropaOperação "Forth Bridge/Ring of Steel"; A mega estrutura de segurança antiterror do...

Operação “Forth Bridge/Ring of Steel”; A mega estrutura de segurança antiterror do funeral do Príncipe Philip

O Castelo de Windsor foi o cenário de uma demonstração espetacular de pompa, e sobretudo, muita segurança para garantir a tranquilidade da cerimônia do funeral do Príncipe Philip para a Família Real e para a população nos arredores do Castelo de Windsor.

O duque não recebeu um funeral de estado , que geralmente é reservado aos monarcas. Em vez disso, os desejos do Príncipe Philip seriam apenas para um funeral militar conduzido na Capela de São Jorge e sepultamento nos Jardins Frogmore, enquanto o enterro na Capela de São Jorge é mais tradicional.

O Quadrilátero, o ponto de onde o caixão partiu, foi alinhado pelos the Household Cavalry & the Foot Guards, bem como destacamentos militares de unidades com ligações especiais ao duque.

Pessoal militar da Royal Navy , Royal Marines, The Highlanders, Royal Regiment of Scotland e Royal Air Force alinharam a rota da procissão. Nenhum discurso, sermão ou elogio foi proferido no serviço, conforme o desejo do Príncipe & Duque de Edinburgh. A cerimônia apenas citou e destacou seus vínculos com a Marinha Real e sua paixão pelo mar.

Dentro do pátio do castelo, o caixão do duque de Edimburgo estava coberto com seu estandarte pessoal, sua espada, o seu quepe naval e uma coroa de flores enquanto os carregadores militares selecionados para a honra do cerimonial o colocavam em seu carro funerário, um simples Land Rover monocabine, que era de seu uso pessoal. O emprego do veículo no funeral foi determinado em vida pelo próprio Príncipe.

Imagem do caixão do duque de Edimburgo, carregada no Land Rover que ele ajudou a projetar. Visto aqui, flanqueado por Pall Bearers vindos de regimentos, corpos, estações aéreas e unidades com uma relação especial com o duque. Foto via Uk Ministry of Defense.

Operação “Ring of Steel”

Como foi previsto pelas autoridades policiais, centenas de milhares de pessoas alinharam-se nas ruas de Windsor para homenagear o falecido Príncipe Philip, desafiando o apelo do Palácio de Buckingham para manter distância devido às regras de prevenção ao Covid, restrições as quais os britânicos estão à muito tempo questionando e desobedecendo, enquanto a polícia efetuava um ‘anel de aço’ em torno da região do cerimonial preocupada muito mais com ataques terroristas de origem radicais islâmicas e anarquistas que com eventuais contaminações do vírus chinês.

As restrições do coronavírus significou que menos pessoas puderam visitar a cidade para a ocasião, mas os residentes elogiaram a família real por “dar o exemplo” ao limitar o número de presentes durante a pandemia em curso. Por outro lado, a restrição de público acabou ajudando na operação de segurança.

As placas de trânsito e anúncios em rádio e TV na área alertavam: “Evite todas as viagens não essenciais e não se reúna em frente das residências reais”, embora alguns tenham visitado brevemente para prestar homenagem ao Príncipe falecido.

A mega operação de segurança informalmente chamada de “Iron Ring” estava focada na prevenção de riscos terroristas e ações de “constrangimentos planejados” por movimentos políticos anarquistas e black blocks em geral, e também, principalmente no controle de acessos não autorizados ao castelo por eventuais infiltrados no pessoal de serviço, que poderiam colaborar com tais ações criminosas.

O potencial para ataques com faca, tiroteios e bombas contra o grande público também foram consideradas e a operação de segurança se extendeu às demais áreas urbanas de Windsor para garantir a segurança da população.

Entre algumas das muitas providências da operação, aconteceu o fechamento do espaço aéreo local para todo e qualquer voo que não os da Polícia e Forças Armadas, incluíndo procedimentos com equipamentos especiais para neutralizar eventuais drones e câmeras não autorizadas escondidas.

Até mesmo cômodos de residências particulares foram requisitados para uso nas observações policiais. Foto de Nick Edwards via UK Ministry of Defense.

A operação “Iron Ring” começou seus procedimentos no dia seguinte ao anúncio do falecimento do Príncipe, e em antecipação, começou a estabelecer todo um protocolo de verificações e isolamento de áreas a partir dos principais locais envolvidos na cerimônia como o Palácio de Windsor e a Capela Real de São Jorge, onde o caixão do Príncipe foi sepultado.

Estima-se que estradas, ruas locais e até mesmo os túneis de esgotos foram verificados em um raio de mais de 10km ao redor do Castelo de Windsor.

A polícia de Thames Valley começou a enviar policiais em 13 de abril para fazer buscas em todos os locais que pudessem oferecer riscos em potencial, desde a mais simples caixa de correio até residências e edificações de propriedade privada em toda a região de Windsor antes do funeral.

A segurança na área foi intensificada, à medida que a presença da polícia também aumentou, com as forças policiais verificando os veículos na cidade usando o sistema ANPR, que identifica placas e veículos com imagens de câmeras inteligentes. Nenhum veículo adentrou o chamado “Anel de Aço” sem ser devidademte verificado pelas forças policiais .

A operação teve foco central na cidade de Windsor, mas se estendeu para diversos outros locais de Londres onde aconteciam os disparos de canhões às margens do rio Tâmisa, em frente ao Castelo da Torre de Londres (Tower Bridge). A navegação em parte do Rio Tâmisa foi proibida no dia do funeral.

Não foi comentado pelo Departamento de Defesa e Polícias a quantidade de efetivo total empregado, mas foi divulgando que todas as ações ocorreram em conjunto entre Polícias locais, Scotland Yard e Forças Armadas. A presença da unidade “Blue Thunder” não foi notada, mas sabe-se que os mesmos estavam de sobreaviso com seus helicópteros de intervenção rápida, e estes poderiam ser também apoiados por helicópteros de ataque AH-64 da aviação do British Army caso necessário.

De acordo com observações de especialistas britânicos das grandes mídias, pelo menos uma centena de atiradores de elite (Snipers) estavam posicionados nos topos de prédios e outras edificações nos arredores do Palácio de Windsor. Pelo menos duas dezenas de veículos blindados anti tumultos das Polícias especializadas estavam em sobreaviso, devidamente escondidos em pontos estratégicos dos arredores do Castelo de Windsor.

O único evento significativo registrado foi de uma senhora que tentou efetuar uma caminhada seminua em uma rua próxima ao Castelo de Windsor, que foi imediatamente detida por policiais femininas e retirada do local sem maiores esforços.

Foto via Thames Valley Police/Phil Noble.

O chefe assistente da polícia de Thames Valley, Ben Snuggs, comandante estratégico para o funeral, disse:

“Entendemos que as pessoas vão querer apresentar seus respeitos a Sua Alteza Real o Duque de Edimburgo e à Família Real durante este período de luto nacional.

“No entanto, pedimos que o público respeite os desejos da Casa Real e os conselhos do Governo, minimizando as viagens e não se reunindo em grupos. Em vez disso, pediríamos às pessoas que usassem o livro online de condolências que foi criado pela Casa Real.

“A presença policial continuará em Windsor antes e no dia do funeral como parte de nossas medidas para garantir a saúde pública e a segurança e proteção.

“Nossos pensamentos permanecem com a Família Real e todos os afetados neste momento tão difícil.”

Operação Forth Bridge

Os funerais de membros da realeza mais velhos levam anos no planejamento, com cada operação com o nome de uma ponte diferente. O codinome do funeral da rainha é “London Bridge” (Ponte de Londres) e o funeral do Príncipe Phillip “Forth Bridge”.

O plano nacional para lidar publicamente com a morte do duque foi chamado de Operação Forth Bridge , em homenagem à Forth Bridge perto de Edimburgo , a cidade de seu ducado . De acordo com o College of Arms , o plano original da Ponte Forth foi alterado à luz da pandemia COVID-19 .

Inicialmente o que se chama de “Operação Forth Bridge” é mais um protocolo de procedimentos informativos e protocolares que um plano de segurança operacional para o cerimonial e para a Família Real, sendo esse subordinado à estrutura da Operação Forth Bridge, mas aparentemente com uma certa autonomia para ações.

Iniciado após sua morte, o plano incluía um comunicado à imprensa emitido pelo Palácio de Buckingham simultaneamente à BBC e à Press Association ; O protocolo pressupõe que lorde camarista consultou a rainha antes do comunicado à imprensa. No momento do lançamento, as bandeiras foram baixadas a meio mastro , onde se espera que permaneçam por um período de luto nacional que durará até 8h do dia seguinte ao funeral do duque.

Todas as Bandeiras da União e bandeiras nacionais foram baixadas e a orientação do governo sugere que outras bandeiras em edifícios governamentais, por exemplo, bandeiras das Forças Armadas ou bandeiras do Orgulho, sejam substituídas por uma Bandeira da União a meio mastro para o período de luto.

No entanto, o Royal Standard (na época, a bandeira acima do Castelo de Windsor) continuou a ser hasteada com o mastro completo, pois representa a presença do monarca vivo.

Membros do Parlamento (MPs) devem usar gravata preta quando estiverem na Câmara dos Comuns e também usar braçadeiras pretas no braço esquerdo. Nenhuma lei seria aprovada durante o período de luto de oito dias.

O comunicado de imprensa foi divulgado ao meio-dia. A BBC suspendeu toda a programação não infantil até pelo menos 18h do dia 9 de abril e substituiu-a por uma programação respeitosa após o anúncio. No rádio, as transmissões foram alteradas primeiro para o hino nacional e depois para música sombria. Os canais de televisão da BBC adotaram reportagens especiais sobre a vida do duque. Na BBC News , a apresentadora Martine Croxall interrompeu os relatórios contínuos para anunciar a morte do duque. Ela removeu o colar antes do canal cortar brevemente as imagens do duque para permitir que ela se transformasse em preto; todos os canais da BBC então assumiram o feed da BBC News para a reportagem.

Para anunciar as notícias na BBC One , a transmissão foi apagada, com um simples cartão de título aparecendo e anunciando uma reportagem. Croxall anunciou o falecimento do duque novamente antes de ler o comunicado à imprensa.

Após o anúncio, foi exibida uma imagem do duque, com o hino nacional tocado. Croxall foi substituído pelo principal âncora da BBC News, Huw Edwards, do BBC News at One . No ITV , uma entrevista ao vivo no This Morning foi interrompida, com o apresentador Eamonn Holmes discretamente informado da morte por membros da tripulação, a fim de anunciar a notícia.

Nos canais da BBC, os apresentadores ainda estavam vestidos de preto no fim de semana após a morte do duque e em 12 de abril, enquanto os apresentadores da ITV no Good Morning Britain naquela data não.

Às 18h do dia 9 de abril, o sino tenor da Abadia de Westminster começou a tocar, e foi tocado uma vez a cada minuto durante 99 minutos, para refletir a vida do duque.

O plano incluía tarefas para divulgar as notícias em toda a Comunidade das Nações . Na Austrália, um dos reinos da Commonwealth do qual Elizabeth é rainha, a responsabilidade de informar o governo e o público era do governador-geral David Hurley .

Bandeiras também devem ser hasteadas a meio mastro em toda a Comunidade. De acordo com o protocolo, a bandeira australiana foi hasteada a meio mastro nos dias 10 e 17 de abril, para marcar luto e respeito pelo duque.

No Canadá, um aviso para hastear a bandeira nacional a meio mastro em edifícios e estabelecimentos federais e no exterior em missões estrangeiras foi emitido em 9 de abril, uma medida que durou até o pôr do sol em 17 de abril.

Na Nova Zelândia, a primeira-ministra Jacinda Ardern ordenou que as bandeiras dos edifícios governamentais e navais fossem hasteadas a meio mastro em 10 de abril, 13 de abril, 17 de abril e no dia do serviço memorial na Nova Zelândia.

Treinamento e ensaios gerais das tropas em Pirbright. Fotos via UK Ministry of Defence.

A maioria dos ensaios militares para o cortejo fúnebre ocorreu em Pirbright e um ensaio geral ocorreu no Castelo de Windsor em 15 de abril.

Galeria de imagens, com fotos do UK Ministry of Defence:

  • Com informações Medium.com, UK Ministry of Defence, Dailymail.co.uk, Metropolitan Police UK, Thames Valley Police, Metro News UK, Planetradio.co.uk, via redação Orbis Defense Europe.


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!