HomeRússiaParlamento russo aprova lei que PROÍBE propaganda extremista LGBT, a pedofilia e...

Parlamento russo aprova lei que PROÍBE propaganda extremista LGBT, a pedofilia e a mudança de sexo

Rússia fecha o cerco contra movimentos radicais financiados pelo ocidente, entre eles o movimento em massa LGBT.

A Duma Estatal, em reunião em 24 de novembro, aprovou na terceira leitura final uma lei que proíbe a propaganda extremista LGBT, a pedofilia e as informações que possam induzir a mudança de sexo em livros, cinema, publicidade e mídia. O documento foi apoiado por unanimidade.

Conforme relatado no site oficial da câmara baixa do parlamento, os autores das emendas foram o presidente da Duma Estatal Vyacheslav Volodin, os líderes de todas as facções e mais de 300 parlamentares.

De acordo com o texto do documento, o projeto de lei proíbe a promoção de relacionamentos não tradicionais, pedofilia, informações que estimulem a mudança de sexo, bem como a divulgação de informações sobre pessoas radicais do movimento LGBT na mídia, internet, publicidade, cinema e literatura, tanto entre menores quanto entre cidadãos adultos da Rússia.

Desenhos ou filmes como àqueles produzidos pelo ocidente, especialmente a Disney, não são aceitos na Rússia.

A Rússia acusa a extrema-esquerda no ocidente, especificamente dos EUA, como promotores de movimentos que denigrem a moralidade civil e a estrutura da sociedade para impor seu mercado globalista a partir de ongs e movimentos em massa, como LGBT, Black Lives Matter e entre outros, com objetivo final os próprios interesses.

Nos EUA, a Disney confirmou que o desenho animado Onward apresentará seu primeiro personagem de animação abertamente gay.

Onward é o mais recente filme de animação da Disney Pixar. É estrelado por Tom Holland e Chris Pratt como irmãos elfos, que partem em uma missão para tentar trazer seu pai de volta dos mortos.

Ressalta-se que os filmes em que houver propaganda de relações e preferências sexuais não tradicionais não receberão certificados de locação, e o acesso a serviços pagos de hospedagem de conteúdo LGBT será totalmente restrito a menores.

Homossexuais têm maior incidência de abusos em menores 

De acordo com a pesquisadora e ex-presidente do Institute for Media Education no subúrbio de Louisville, Judith Reisman, como os heterossexuais superam a população homossexual em cerca de 44 para 1, como um grupo, a incidência de homossexuais molestando crianças é até 40 vezes maior do que a dos heterossexuais.

Reisman aponta para números de um estudo populacional de 1991 do Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

Ele mostrou que 8 milhões de meninas foram abusadas aos 18 anos por homens heterossexuais, uma proporção de 1 vítima para 11 homens adultos. No entanto, 6 a 8 milhões de meninos foram abusados ​​aos 18 anos por 1 a 2 milhões de homossexuais adultos, uma proporção de 3 a 5 vítimas para cada adulto gay.

Rússia fecha o cerco

A lei prevê a proibição da venda de bens que contenham informações, cuja divulgação preveja responsabilidade administrativa ou criminal.

Além disso, a lei “Sobre a proteção de crianças contra informações prejudiciais à saúde e ao desenvolvimento” inclui um artigo sobre a promoção de relações sexuais não tradicionais, pedofilia e informações que podem levar os adolescentes a querer mudar de sexo.

Entre outras coisas, estão se expandindo os poderes do Roskomnadzor, que adquire o direito de determinar o procedimento de monitoramento na Internet para busca de informações proibidas, cujo acesso deve ser limitado.

Na véspera, em 23 de novembro, a Duma do Estado aprovou em segunda leitura um projeto de lei que proíbe a propaganda de relações de extremistas LGBT, pedofilia e informações que possam induzir a mudança de sexo.

Antes disso, em 21 de novembro, o Izvestia soube que os proprietários de redes sociais podem ser obrigados a monitorar suas plataformas quanto a informações proibidas que promovam relações e/ou preferências sexuais não tradicionais, pedofilia e mudança de sexo.

Em 11 de novembro, foi relatado que os deputados da Duma Nina Ostanina e Nikolai Burlyaev prepararam emendas ao projeto de lei que proíbe a propaganda LGBT, segundo as quais a responsabilidade criminal poderia ser imposta por violação repetida da lei .

Hoje, na Federação Russa, existe uma lei que proíbe a promoção de relações sexuais não tradicionais entre menores.

De acordo com a Rússia, quem se envolve nestes movimentos radicais LGBT podem até pensar que estão participando de um protesto ou defendendo um ideal sem preconceito, pelo contrário, estão exatamente fazendo parte de um sistema preconceituoso de racista financiado pelos extremistas que usam essas pessoas para promover seus objetivos.

Patrocinado por Google

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

Deixe uma resposta


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR 

CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

AGORA!