Projeto de lei de gastos com defesa desfinanciaria o cais de Biden em Gaza

O Comitê de Dotações da Câmara avançou na quinta-feira seu projeto de lei de gastos com defesa para o ano fiscal de 2025, acrescentando ao mesmo tempo uma disposição que eliminaria o cais improvisado dos militares na costa da Faixa de Gaza, que tem lutado para fornecer um nível adequado de ajuda humanitária aos palestinos que enfrentam condições semelhantes às da fome. .

O comitê votou por 34 a 25, seguindo as linhas partidárias, para enviar a conta de US$ 833 bilhões ao plenário da Câmara com os democratas se opondo à disposição que fecharia o cais, que custará algo entre US$ 230 e US$ 320 milhões, de acordo com estimativas do Pentágono.

A emenda do deputado Andrew Clyde, R-Ga., proíbe o Departamento de Defesa de construir ou manter um cais ou Capacidades conjuntas de logística over-the-shore “nas proximidades de Gaza.”

“O cais foi afetado por atrasos prolongados, desvio de ajuda humanitária, custos adicionais e danos debilitantes”, disse Clyde antes da votação. “Presidente [Joe] O cais de Biden em Gaza foi um fracasso total. Não é fornecido nem perto da quantidade esperada de ajuda aos palestinos, conforme prometido por esta administração.”

O Comitê de Dotações adotou a emenda de Clyde por votação verbal, apesar das objeções dos democratas, que também se opuseram ao projeto de lei final devido a uma série de políticas socialmente conservadoras e à falta de ajuda da Ucrânia.

A deputada Betty McCollum, de Minnesota, a principal democrata do comitê, observou que o Departamento de Defesa não pretende continuar sua operação no cais de Gaza até o ano fiscal de 2025, que começa em outubro.

“Há um mês, o chefe do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas anunciou que o norte de Gaza entrou numa situação de fome total”, disse McCollum. “Esta operação dura apenas um período de tempo limitado e termina em agosto, quando o clima e o mar tornarão insustentável a sua continuação.”

Os democratas do Comité de Dotações também criticaram uma disposição do projecto de lei de despesas de defesa que proíbe o financiamento da Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras aos Refugiados da Palestina no Médio Oriente. Outra disposição do projeto de lei impediria o presidente de reter entregas de armas a Israel e forçaria o Pentágono a entregar o único carregamento de cerca de 3.500 munições ar-terra que Biden reteve em abril.

Os legisladores na quarta-feira também adicionaram duas outras emendas retirando financiamento do cais de Gaza para o projeto de lei de política de defesa do ano fiscal de 25, legislação separada que o plenário da Câmara deverá votar na sexta-feira. A Câmara adotou as disposições dos deputados republicanos Nancy Mace, da Carolina do Sul, e Warren Davidson, de Ohio, como parte de um pacote bipartidário de emendas que ambos os partidos concordaram por voto verbal.

A Câmara acrescentou na quarta-feira outra emenda ao projeto de lei de política de defesa por votação verbal que impediria o Departamento de Defesa de usar fundos para reconstruir Gaza, embora não haja dinheiro alocado para isso no projeto de lei de gastos de defesa. Os legisladores adotaram a emenda do deputado Brian Mast, R-Flórida, por votação verbal, apesar das objeções democratas.

A Câmara aprovou por pouco outra alteração 204-199 do Mast que impediria o Pentágono de evacuar refugiados palestinianos para os Estados Unidos, embora o Departamento de Defesa não tenha planos para empreender tal operação.

Biden anunciou o cais para entregar ajuda a Gaza durante sua Discurso sobre o estado da União em março devido às contínuas restrições de Israel à entrega de alimentos, água, combustível e medicamentos através das travessias terrestres. O cais fica na costa, no final do Corredor Netzarim dos militares israelenses, que agora divide a Faixa de Gaza em duas.

Vinte agências humanitárias alertaram em maio que as entregas a partir do cais têm sido inadequadas para compensar o baixo nível de assistência através de travessias terrestres. E o Programa Alimentar Mundial da ONU interrompeu recentemente a distribuição de ajuda do cais, alegando preocupações de segurança para o seu pessoal após ataques com foguetes aos seus armazéns.

Além disso, três soldados dos EUA sofreram ferimentos não-combatentes em maio durante a montagem do cais. Pouco depois, condições climáticas adversas destruíram o cais e obrigaram os militares a repará-lo.

Bryant Harris é o repórter do Congresso do Defense News. Ele cobre a política externa dos EUA, segurança nacional, assuntos internacionais e política em Washington desde 2014. Ele também escreveu para Foreign Policy, Al-Monitor, Al Jazeera English e IPS News.

Patrocinado por Google
Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Descubra mais sobre Área Militar

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading