HomeGuerra Fria 2.0Putin monitora a Força Estratégica enquanto a Rússia realiza exercícios de armas...

Putin monitora a Força Estratégica enquanto a Rússia realiza exercícios de armas nucleares

Os mais poderosos exercícios estratégicos nucleares da Rússia nem mal começou e toda a Tríade Nuclear já foi mostrada e vem assustando a Europa.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin , monitorou nesta quarta-feira os exercícios das forças nucleares estratégicas do país envolvendo vários lançamentos de mísseis balísticos e de cruzeiro, em uma demonstração de força em meio às crescentes tensões com o Ocidente sobre o conflito na Ucrânia .

O ministro da Defesa, Sergei Shoigu, informou a Putin que o exercício pretendia simular um “ataque nuclear maciço” da Rússia em retaliação a um ataque nuclear ao país.

As manobras seguiram o alerta de Putin sobre sua disposição de usar “todos os meios disponíveis” para rechaçar ataques ao território russo em uma clara referência aos arsenais nucleares do país.

Durante os exercícios russos na quarta-feira, um míssil balístico intercontinental Yars foi testado a partir do local de lançamento do norte de Plesetsk. Um submarino nuclear russo no Mar de Barents também lançou um ICBM Sineva no campo de tiro Kura, no extremo leste da Península de Kamchatka, e mísseis de cruzeiro estratégicos Tu-95 em alvos de prática.

Nesta foto tirada de um vídeo divulgado pelo Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia na quarta-feira, 26 de outubro de 2022, o submarino nuclear Tula da marinha russa está em uma missão para realizar um lançamento prático de um míssil balístico intercontinental como parte de exercícios de as forças nucleares do país. Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia via AP

O Kremlin disse em comunicado que todas as tarefas definidas para o exercício foram cumpridas e todos os mísseis testados atingiram seus alvos designados.

Os exercícios russos ocorreram no momento em que a Otan estava realizando seus próprios exercícios nucleares anuais no noroeste da Europa, que ocorrerão até 30 de outubro.

Manobras russas envolvendo componentes terrestres, marítimos e aéreos da tríade nuclear têm ocorrido anualmente para treinar as forças nucleares do país e demonstrar sua prontidão. Um exercício anterior desse tipo foi realizado poucos dias antes de Putin enviar tropas para a Ucrânia.

O governo Biden disse na terça-feira que a Rússia notificou que pretendia realizar exercícios de rotina de suas capacidades nucleares. O Pentágono e o Departamento de Estado dos EUA disseram que a Rússia cumpriu os termos do último acordo de controle de armas EUA-Rússia ao notificar Washington sobre os próximos testes.

O exercício nuclear russo ocorre em meio às advertências de Moscou de um suposto plano ucraniano para detonar um dispositivo radioativo comumente conhecido como “bomba suja” em um ataque de bandeira falsa para culpar a Rússia.

carcaças estruturais do míssil russo Iskander capturadas no Azerbaijão em 2021.

Acredita-se que membros ativos do serviço militar da Ucrânia usarão estruturas do míssil russo Iskander e do foguete Toshka SS-21 para preencher de lixos nuclear e explodir em áreas controladas, como em Chernobyl, a fim de culpabilizar os russos.

O próprio Putin repetiu a alegação de bomba suja na quarta-feira. “Sabemos dos planos de usar a chamada bomba suja para provocações”, disse ele.

Shoigu, o Ministério da Defesa russo, também chamou seus colegas chineses e indianos na quarta-feira para discutir a alegação infundada, que a Ucrânia e seus aliados ocidentais rejeitaram fortemente.

O ministro da Defesa da Índia, Rajnath Singh, twittou que apontou para Shoigu que “a opção nuclear não deve ser utilizada por nenhum lado, pois a perspectiva do uso de armas nucleares ou radiológicas vai contra os princípios básicos da humanidade”.

O governo ucraniano disse suspeitar que a Rússia esteja planejando sua própria operação de bandeira falsa.

Autoridades da Polônia, vizinha ocidental da Ucrânia, disseram que estão observando de perto os movimentos da Rússia para se preparar para o uso potencial de armas nucleares ou químicas.

O vice-ministro da Defesa, Marcin Ociepa, acusou o Kremlin de “poder usar armas nucleares ou químicas” diante dos reveses militares na Ucrânia.

Patrocinado por Google

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

Deixe uma resposta


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR 

CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

AGORA!