HomeCiência e TecnologiaSu-75? Não! O novo caça Sukhoi "Checkmate" pode não ser chamado de...

Su-75? Não! O novo caça Sukhoi “Checkmate” pode não ser chamado de Su-75

Cumprindo as expectativas dos últimos meses sobre possível lançamento de um dispositivo aéreo revolucionário e para se incluir entre as potências detentoras de mecanismos furtivos de combate além do alcance visual e de radar que, em 17 de julho, acatando aos projetos e cronograma de elevar sua força aérea a patamares de combate no cenário internacional, a Rússia desvendou por meio da estatal Rostec Corporation o novo caça de combate stealth de última geração desenvolvido por sua subsidiária, a United Aircraft Corporation (UAC).

O tão aguardado novo caça de combate leve furtivo russo “Checkmate”, que apareceu no MAKS 2021, pode não receber a designação Su-75, número “75” exibido no protótipo da inauguração.

A especulação é abundante na mídia ocidental de que o caça stealth “Checkmate” é na verdade o Su-75. No entanto, fontes não identificadas disseram ao Defense World que o ‘75’ visto na fuselagem é a designação da aeronave em desenvolvimento para protótipos como visto antes nas aeronaves russas.

“Se o 75 pintado na lateral do novo jato fosse sua designação real, então a United Aircraft Corporation (UAC) o teria chamado por seu nome real, ou seja, “Su-75”. O número 75 poderia ser indicativo de que este é um protótipo e não um modelo ou maquete, disse a fonte.

Por exemplo, quando o primeiro caça de combate pesado Stealth da Rússia adentrou à vista do público na Rússia durante MAKS 2011, ele tinha o número “52” pintado em sua fuselagem dianteira e “075” em sua cauda.

A aeronave foi então chamada de PAK-FA (Perspective Fighter Aircraft of Frontline Aviation), que mais tarde se tornou o T-50.

Os protótipos subsequentes do T-50 exibiram números como 53, 54 e 55, indicando os protótipos em ordem numérica, no final, em 2017, o PAK-FA foi designado como Su-57.

Assim como o PAK-FA, o caça furtivo leve “Checkmate” poderia ser o nome dado durante a fase de desenvolvimento. Pode muito bem se contentar com o sistema de nomenclatura padrão da Sukhoi estabelecido de Su-XX (Su-alguma coisa).

A aeronave receberá os mais modernos dispositivos de batalha da Rússia, por exemplo, a Radio-Electronic Technologies Group (KRET) da Rússia, parte da estatal Rostec, que fornecerá o mais recente conjunto de aviônicos ao “Checkmate”.

O mais recente conjunto de aviônicos inclui um display head-up avançado de grande formato, um display panorâmico aerotransportado e um painel de exibição multifuncional.

Para as autoridades russas, os dispositivos estão no mesmo nível do conjunto de aviônicos do caça de combate americano F-35 e até mesmo o superam em alguns parâmetros, com todas as informações necessárias ao piloto sendo projetadas em um display panorâmico com tela sensível ao toque.

O display avançado de grande formato projeta os principais dados de pilotagem e os dados sobre a situação aérea diretamente no para-brisa da aeronave, somado aos dados sobre os alvos e armas de mísseis apropriados para utilização em uma situação particular sendo projetado. 

Curiosamente, o Su-57 designado foi derivado da soma de 35 e 22 (US F-35 e F-22), de acordo com funcionários da UAC que disseram que a designação indicava uma aeronave que tinha as qualidades combinadas dos dois principais jatos dos EUA.

Como a UAC deixou claro que o Checkmate está indo para o mercado de concorrência do F-35, oferecendo um caça stealth monomotor por um terço do preço do caça americano, o nome do modelo poderia estar mais próximo do F-35 do que do Su-57.

Por ser uma aeronave menor e mais leve em comparação com o Su-57, o “Checkmate” pode obter um número inferior a “57”, disseram as fontes.

Os EUA têm oferecido o F-16V atualizado, com uma estrutura desenvolvida na década de 1960, para países da Ásia e do Oriente-Médio como um meio de graduar para o F-35.

A Rússia quer ir atrás desse tipo de mercado; que tem a necessidade e os meios para comprar o F-35, mas para o qual Washington não está disposto a vender por vários motivos.

Um exemplo é a Indonésia, que tentou comprar o F-35, mas foi instruída a comprar o F-16 primeiro se quiser que seu pedido de compra do F-35 seja considerado mais tarde, um belo jeito de manter as vendas do inabalável Lockheed Martin F-16.

Com informações complementares de Defense World, Rostec, UAC, Reuters, Orbis Defense, Felipe Moretti, via Redação Área Militar


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Felipe Moretti
Analista militar com foco em mídia de streaming, com experiência superior a 4 anos em plataformas como o YouTube e Revistas Eletrônicas, no qual é fundador e administrador do canal Área Militar. Possui capacidade técnica para a colaboração e análises em assuntos que envolvam os meios de preservação e manutenção da vida humana, em cenários de paz ou conflito.
ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

AGORA!