Ucrânia afirma que navio de carga apreendido é usado para exportação de grãos da Crimeia

Kiev disse na quinta-feira que apreendeu um navio de carga estrangeiro e deteve o seu capitão, alegando que o navio exportou ilegalmente grãos ucranianos da península anexada da Crimeia.

Desde a captura pela Rússia de áreas agrícolas na Ucrânia, no início de 2022, Kiev acusou Moscovo de colher e transportar ilegalmente cereais produzidos em território ocupado para países terceiros.

A Procuradoria-Geral da Ucrânia disse ter “apreendido” um navio estrangeiro na região de Odesa que anteriormente exportava produtos agrícolas através do porto de Sebastopol, na Crimeia – um importante centro militar para a Rússia no Mar Negro.

Os Serviços de Segurança da Ucrânia (SBU) afirmaram num comunicado separado que detiveram o capitão do navio, acusando-o de violar as regras de entrada em território ocupado.

Alegou também que os cereais exportados pelo navio — Usko Mfu — tinham sido produzidos no sul da Ucrânia.

As acusações acarretam uma pena máxima de cinco anos de prisão, disse a SBU, enquanto os promotores identificaram o capitão como cidadão do Azerbaijão, um ex-país soviético no sul do Cáucaso.

Os promotores disseram que outros 12 tripulantes estrangeiros também estavam a bordo no momento da apreensão do navio, sem entrar em detalhes sobre sua nacionalidade ou se eles também enfrentariam acusações.

O navio de bandeira camaronesa atracou ilegalmente em Sebastopol em Novembro de 2023 e foi carregado com mais de 3.000 toneladas de produtos agrícolas “destinados a uma empresa turca”, disseram os procuradores.

“Para ocultar a atividade ilegal, o Sistema de Identificação Automática (AIS) do navio foi desligado antes de entrar no porto de Sebastopol, o que é uma violação grave dos requisitos de segurança marítima”, acrescentou o comunicado.

Os promotores disseram que o navio retornou a Sebastopol pela segunda vez em maio deste ano.

Foi apreendido no porto ucraniano de Reni, acrescentaram, onde descobriram documentos emitidos pelas autoridades portuárias de Sebastopol.

Igor Delanoe – vice-diretor do Observatório Franco-Russo – disse que esta foi a primeira vez que a Ucrânia apreendeu um navio de bandeira internacional durante os carregamentos.

“O sinal é que querem fazer com que os países terceiros assumam as suas responsabilidades”, disse ele à AFP.

“Do ponto de vista ucraniano, estes países apoiam a Rússia com o seu silêncio, ao mesmo tempo que beneficiam dos cereais que os ucranianos consideram roubados”, acrescentou.

A União Europeia impôs em Maio direitos “proibitivos” sobre as importações de cereais da Rússia, numa tentativa de cortar receitas a Moscovo para a sua guerra contra a Ucrânia.

O comissário de comércio do bloco disse que a medida iria “combater as exportações ilegais russas de grãos roubados da Ucrânia para os mercados da UE”.

O chefe da região sul de Kherson, na Ucrânia, que o Kremlin afirma fazer parte da Rússia, disse na quinta-feira que as forças russas causaram incêndios em dezenas de hectares de terras ucranianas onde se cultivavam grãos.

Ele também disse que as forças russas atacaram um armazém de grãos na região e atacaram os bombeiros que chegaram para extinguir o incêndio com drones.

Patrocinado por Google
Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Descubra mais sobre Área Militar

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading