HomeLESTE EUROPEUUcrânia ganha mais territórios nas regiões de Kherson, Donetsk e Kharkiv

Ucrânia ganha mais territórios nas regiões de Kherson, Donetsk e Kharkiv

Rússia vai perdendo territórios em meio ao avanço cada vez mais certeiro do Exército Ucraniano com uma artilharia muito concentrada.

As forças armadas da Ucrânia desferiram um golpe esmagador nas alegações russas de anexar “irreversivelmente” a região de Donbas, em um cenário de ameaças de retaliação nuclear. Isso tem uma explicação.

A cidade ucraniana de Lyman, onde a administração de ocupação russa havia acabado de organizar um referendo simulado de anexação, voltou ao controle ucraniano no domingo, 2 de outubro, após vários dias de combates ferozes. “Às 12h30, horário local, a cidade de Lyman está completamente livre de ocupantes russos”, disse o Ministério da Defesa ucraniano em um tuíte.

Enquanto muitos comentaristas pró-Kremlin deploraram uma derrota que era esperada por vários dias devido à falta de reforços, o Ministério da Defesa russo minimizou sua importância.

Em um comunicado em 1º de outubro no Telegram, o ministério disse: “Mais de 200 soldados ucranianos foram eliminados na área de Krasnyi Lyman [o nome soviético para Lyman]. Apesar das perdas sofridas, tendo uma clara superioridade em forças e meios, o inimigo está reunindo seu pessoal e continuando a ofensiva nessa direção. Devido à criação de uma ameaça de cerco, as tropas aliadas recuaram (…) para linhas de defesa mais vantajosas.”

Esta região de Kharkiv, o exército ucraniano libertou Borova (5.000 habitantes), a última cidade ainda ocupada, segundo fontes não oficiais. A operação, realizada entre 2 e 3 de outubro, não foi confirmada pelo estado-maior ucraniano.

As forças russas deixaram suas últimas posições em Kharkiv e parecem ter recebido ordens de se retirar algumas dezenas de quilômetros mais a leste para manter o controle da estrada P-66 supracitada.

Esta rota de abastecimento norte-sul é crucial para manter a área industrial de Lysychansk-Sievierodonetsk-Rubijne, que o exército russo levou mais de três meses para conquistar.

De fato, a contra-ofensiva ucraniana continua avançando rapidamente para o leste. Na noite de domingo, a linha de frente já havia se deslocado 20 quilômetros para leste, na região de Luhansk, aproximando-se de Kreminna, uma cidade de tamanho semelhante a Lyman.

Como de costume, o exército ucraniano está realizando uma manobra para cercar a cidade e atacá-la de três direções: uma no norte para cortar a estrada P-66, principal rota de abastecimento da Rússia; e os outros dois do oeste e do sul.

O exército russo agora está tentando usar Kreminna para impedir o avanço ucraniano. Atrás da cidade está a vasta conurbação industrial de Lysychansk, Sievierodonetsk e Rubizhne, que tinha uma população de 200.000 habitantes antes da invasão.

Moscou só conseguiu assumir o controle dessa conurbação no início de julho, depois de mais de três meses de bombardeios maciços que quase arrasaram as três cidades, com um ataque civil e militar muito pesado.

A próxima ofensiva será muito forte rumo ao grande leste, em direção a Luhansk, ainda dominada pelos russos.

Acredita-se que a cidade de Svatove, mais ao norte da cidade alvo da força ucraniana Kreminna, uma cidade que controla a estrada P-66, reforços russos chegaram recentemente.

O embate das duas frentes dependerá de quão bem preparados esses assentamentos, especialmente Svatove, Rubijne, Kreminna e Starobilsk, estarão em ambas as partes, os ucranianos estão mostrando que têm velocidade e iniciativa, além de artilharia e reconhecimento competentes.

Ao contrário do que vários comentaristas oficiais ucranianos afirmaram, o cerco das forças russas não foi completo e o grosso das tropas não foi feito prisioneiro. Em vez disso, imagens pós-batalha mostram que a retirada foi ruim para as forças russas, com colunas de veículos destruídos e estradas repletas de corpos russos.

Resta aos ucranianos neste momento consolidar sua força militar nas linhas de frente e tomar Svatove e Kreminna para quebrar a logística russa e liberar Lysychansk, uma importante cidade satélite e industrial.

Sabe-se também que a situação é mais difícil em torno de Bakhmut porque os russos são muito bem abastecidos por trens até Donetsk.

As forças russas parecem estar em uma posição cada vez mais difícil no sul da Ucrânia, onde suas linhas foram violadas no fim de semana ao longo da margem do rio Dnipro.

Pelo menos três localidades foram tomadas por Kiev, supostamente em Zolota Balka, Khrechenkivka e Shevchenkivka, enquanto o correspondente militar pró-Kremlin Yuriy Kotionok afirmou que tropas ucranianas tomaram Dudchany na segunda-feira ao ultrapassar o 140º regimento de artilharia, um avanço de 25 quilômetros em direção a Boryslav.

Um movimento de pinça na margem direita do rio Dnipro provavelmente cercará cinco brigadas russas que já estão mal abastecidas.

Patrocinado por Google

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR CONTRA A CENSURA DO YT

OU USE A CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

Deixe uma resposta


RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS



ENTRE EM NOSSO CANAL NO TELEGRAM



Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas da área militar destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade. Siga nosso Twitter https://twitter.com/areamilitarof
ARTIGOS RELACIONADOS

FAÇA UM PIX E AJUDE O ÁREA MILITAR 

CHAVE-PIX:  canalareamilitarof@gmail.com

AGORA!