USAF – Forças EOD suecas e da USAF fortalecem os laços da OTAN em exercício combinado na Base Aérea de Tyndall



O início da Suécia adesão à OTAN O dia 7 de Março abriu as portas a novas oportunidades de formação entre as forças armadas dos EUA e da Suécia. A primeira empresa do Centro de Descarte de Artilharia Explosiva e Desminagem do exército sueco, sexta equipe, juntou-se à unidade EOD do 325º Esquadrão de Engenheiros Civis para um exercício combinado em Base Aérea de TyndallLocal de treinamento Silver Flag, de 29 de abril a 3 de maio.

O exercício teve como objectivo testar e melhorar a prontidão e interoperabilidade entre os dois países, estabelecendo camaradagem e fornecendo uma plataforma para o intercâmbio de técnicas, tácticas e procedimentos.

Ao longo do exercício de cinco dias, as duas equipes realizaram uma ampla gama de operações, incluindo cenários com reféns e simulações de ameaças complexas.



“Esses exercícios são importantes como novos aliados”, disse o sargento. Clayton Manning, jornaleiro do 325º CES EOD. “Construir química e experiências é crucial para nossos relacionamentos com nações parceiras. Em Tyndall, temos o maior local de treinamento Silver Flag do Departamento de Defesa e é valioso ter acesso a todos os recursos de que precisamos para treinar em um [simulated and realistic] ambiente inferior.

A cooperação entre as nações aliadas pode não só validar e testar soluções, mas também ajudar a facilitar o rápido emprego de capacidades futuras. Esta operação foi mais uma forma de integração e interoperabilidade com os parceiros, agilizando processos nos procedimentos de cada país.

“Se [either] de nós [operates] de forma diferente, temos a capacidade de experimentá-los, em um ambiente controlado, e implementá-los em nosso treinamento em casa, para que possamos aumentar nossas capacidades, com a mudança significativa para nos tornarmos uma nação parceira”, disse o cabo do exército sueco. Filip Davidsson, primeira empresa de EOD e desminagem, sexto membro da equipa.

O primeiro dia do exercício centrou-se na proficiência em demolição e nos efeitos de cargas dinâmicas contra dispositivos explosivos improvisados. Os dias de formação subsequentes desafiaram ambas as equipas a utilizar uma variedade de técnicas para garantir a segurança e eliminar riscos explosivos numa área de operação simulada no Médio Oriente, incorporando experiências do mundo real para melhorar a detecção e remoção de IEDs.

“Espero que possamos continuar trabalhando com [Sweden] frequentemente”, disse Manning. “Este exercício, planeado ao longo de vários meses, teve como objetivo fornecer uma base para o fortalecimento da parceria entre nações conjuntas, e eu diria que foi um sucesso total.”




Patrocinado por Google
Área Militar
Área Militarhttp://areamilitarof.com
Análises, documentários e geopolíticas destinados à educação e proliferação de informações de alta qualidade.
ARTIGOS RELACIONADOS