Os últimos detalhes do suposto acidente do submarino nuclear Type 093 da Marinha Chinesa

Desde 21 de agosto deste ano, existiam rumores persistentes de que um submarino nuclear da Marinha Chinesa sofreu um acidente grave. Eles foram amplamente divulgados pela primeira vez em certas mídias sociais em língua chinesa. Desde então, isso foi noticiado na mídia taiwanesa e tem havido muita especulação sobre isso.

No entanto, o boato não desapareceu, principalmente nas fontes chinesas. O especialista naval HI Sutton passou a investigar os fatos na época. As informações foram divulgadas pela imprensa taiwanesa e de outras línguas não inglesas e deturpadas para “provar” que o incidente ocorreu. Mas virou notícias por alguns dias.

Onde há fumaça, às vezes há fogo. As primeiras informações sobre o suposto acidente foi relatada por um jornal chinês chamado de “Lude Media”. De acordo com o informativo, às 8h12 do dia 21 de agosto, o submarino 417 da classe Type 093 estava realizando uma tarefa de submersão.

Durante a operação foi detectado uma falha mecânica por causa de uma corrente de âncora, o que fez com que a cabine despressurizasse e flutuasse lentamente. A situação coincidiu com uma tempestade no porto de Lian Yun Gang, dificultando o resgate da tripulação que ficou suspenso.

Após 6 horas de resgate ininterrupto, o submarino emergiu às 14h04 do mesmo dia, mas o oxigênio do navio havia se esgotado, resultando na morte de 22 oficiais, 7 estudantes, 9 suboficiais e 17 soldados rasos que participaram da missão de teste, ao todo foram 55 indivíduos mortos.

Existem vários aspectos que levantam questões neste relato. Dois pontos de interrogação óbvios são: Os submarinos nucleares normalmente não ficam sem ar durante meses, eles conseguem sobreviver. Os submarinos nucleares têm muita potência, a corrente da âncora não devia ter sido a causa do suposto acidente. A pequena tripulação também é digna de nota como incomum, mas não fora de questão.

No entanto, combinado com outras fontes para estes rumores, foi pelo menos uma indicação de que algo aconteceu. As histórias da mídia em Taiwan geralmente repetiam esta versão.

Foi então que nessa terça-feira, 03 de outubro, a mídia britânica Daily Mail divulgou relatórios até então ultrassecretos do Reino Unido que registra a possível morte de 55 marinheiros chineses após um submarino nuclear ficar preso em uma armadilha destinada a capturar navios britânicos e americanos no Mar Amarelo, uma região estratégica entre a Península Coreana e a costa leste da China.

De acordo com um relatório secreto do Reino Unido, os marinheiros morreram após uma falha catastrófica nos sistemas de oxigênio do submarino que envenenou a própria tripulação.

O capitão do submarino chinês da classe Shang Type 093 com designação 417 da Marinha Chinesa está entre os falecidos, assim como outros 21 oficiais. O Type-093 é o principal submarino de ataque com propulsão nuclear da China. É conhecida pela OTAN como Classe SHANG.

Embora não seja o submarino mais comum na frota da Marinha Chinesa (PLAN), é atualmente o mais potente. É implantado ao lado dos submarinos de mísseis balísticos (SSBNs) do país e, portanto, provavelmente desempenha um papel na defesa contra os submarinos de outros países.

Após os rumores e grandes volumes de dados, a China negou oficialmente que o incidente tenha ocorrido. Parece também que Pequim se recusou a solicitar assistência internacional para o seu submarino atingido.

O relatório britânico indica que a causa das mortes foi por hipóxia devido a uma falha no sistema do submarino. Mas o que de fato aconteceu para ocasionar uma falha na distribuição de oxigênio de toda a tripulação e morte de todos os envolvidos?

Tudo indica que o submarino chinês 417 atingiu um obstáculo de corrente e âncora usado pela Marinha Chinesa para prender submarinos dos EUA e aliados. Isso resultou em falhas de sistemas que levaram seis horas para reparar e emergir do navio. O sistema de oxigênio a bordo envenenou a tripulação após sua falha catastrófica.

E o que Pequim tem a dizer sobre tudo isso?

Pequim rejeitou as especulações de fonte aberta sobre o incidente como “completamente falsas”, enquanto Taiwan também negou relatos da Internet. Jornalistas tentaram buscar mais informações com a Marinha Real Britânica para discutir os detalhes contidos no relatório do Reino Unido, mas fontes oficiais se recusaram a comentar ou oferecer orientação.

Um submarinista britânico deu a seguinte explicação sobre o caso: Para ele, “é plausível que isto tenha ocorrido e muito provavelmente os chineses não pediram apoio internacional por razões óbvias”, se o submarino estivesse preso no sistema de rede e as baterias estivessem descarregadas, o que é plausível, então, eventualmente, os purificadores de ar e os sistemas de tratamento de ar poderiam ter falhado sem energia elétrica.

Há uma espécie de sistemas secundários para contornar a situação, mas, plausivelmente, também falhou em manter o oxigênio a toda tripulação, o que levou à asfixia ou envenenamento pelo alto índice de CO2 no ar. Os britânicos e americanos possuem sistemas de absorção de CO2 no ambiente para evitar índices críticos aos tripulantes, é provável que outras nações, como a China, não tenham este tipo de tecnologia.

O submarino Type-093 entrou em serviço ativo em 2006 e tem sido produzido em baixo ritmo de produção desde então, com sucessivas modificações. Tem havido muita especulação e suposições enquanto os analistas tentavam entender cada versão atualizada.

Além de melhorias ocultas, como sensores aprimorados e possivelmente melhor furtividade, o perfil dos submarinos chineses mudou significativamente. A vela foi alongada e uma borda de ataque combinada foi adicionada, não muito diferente da classe americana Virginia.

Relatórios asiáticos revelam ainda que o submarino enviou um sinal de socorro criptografado e automático, e que as marinhas e departamentos marítimos de todos os países vizinhos teriam recebido o sinal, ou seja, os chineses e outras nações como Taiwan conheciam a situação geral antes de Xi Jinping, que estava na África do Sul em 21 de agosto de 2023.

Patrocinado por Google
Felipe Moretti
Felipe Moretti
Jornalista com foco em geopolítica e defesa sob registro 0093799/SP na Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia. Especialista em análises via media-streaming há mais de 6 anos, no qual é fundador e administrador do canal e site analítico Área Militar. Possui capacidade técnica para a colaboração e análises em assuntos que envolvam os meios de preservação e manutenção da vida humana, em cenários de paz ou conflito.
ARTIGOS RELACIONADOS
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Descubra mais sobre Área Militar

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading